O Mundo da MItologia Nórdica

Na mitologia nórdica, acreditava-se que a terra era formada por um enorme disco liso. Asgard, onde os deuses viviam, situava-se no centro...




Na mitologia nórdica, acreditava-se que a terra era formada por um enorme disco liso. Asgard, onde os deuses viviam, situava-se no centro do disco e poderia ser alcançado somente atravessando um enorme arco-íris (a ponte de Bifrost). Os gigantes viviam num espaço equivalente chamado Jotunheim (Casa dos Gigantes). Uma enorme ábade no subsolo escuro e frio formava o Niflheim, que era governada pela deusa Hel. Este era a moradia eventual da maioria dos mortos.
Situado em algum lugar no sul ficava o reino impetuoso de Musphelhein, repouso dos gigantes do fogo. Outros reinos adicionais da mitologia nórdica incluem o Alfheim, repouso dos elfos luminosos (Ljósálfar), Svartalfheim, repouso dos elfos escuros, e Nidavellir, as minas dos anões. Entre Asgard e Niflheim estava Midgard, o mundo dos homens.


O Mito da Criação

O Frio e o Calor são o princípio de tudo. O frio era Nilfheim, um mundo de escuridão, frio e névoa. O caso oposto é o cálido, o calor chamado Muspell, o mundo do eterno calor.

Ginnungagup existia entre estes dois mundos, ou seja, aqui havia um grande vazio que ele preenchia. Em Ginnungagup surgiu a vida ao encontrarem-se o céu de Niflheim e o fogo de Muspell.

Entre o frio e o calor, dessa união, nasceram primeiro o ogro,Ymir ou Aurgelmir, e mais tarde a vaca gigante Audumbla. Ymir alimentou-se do leite de Audumbla, e do seu suor nasceu um casal de gigantes, e dos seus pés um filho. Essa foi a origem do embrião deles chamados yotes. Audumbla pode viver lambendo o gelo salgado, mas ao fazer isto, ela deu forma a outro ser primordial, Búre, que gera um filho, Bor.
Bor casa-se com Bestla, a filha do gigante Bolþorn. Dessa união nasceram três deuses: Odin, Vile e Ve.
Mais tarde, os três irmãos mataram Ymir, e do seu corpo criaram a terra, do seu sangue o mar, dos seus ossos as montanhas, dos seu crânio o céu (com um anão em cada canto, como se estivessem a segurá-lo), dos seus cabelos as árvores e do seu cérebro as nuvens.
Fagulhas de Muspell formaram as estrelas e os corpos celestiais, e os deuses ordenaram os seus movimentos, determinando as divisões do tempo. A terra foi circundada por um vasto oceano.

Este novo mundo foi chamado de Midgard, uma residência para a humanidade, fortificada por uma cerca feita pelas sobrancelhas de Ymir, e eles deram as terras no litoral para os gigantes se estabelecerem. Criaram no centro de Midgard, para que os homens não se sentissem só, o mundo dos asas, Asgard, em cujo centro crescia um grande freixo chamado Yggdrasil. A morte de Yggdrasil podia significar a destruição total do mundo, porque esta era a árvore da vida.

Yggdrasil é habitada por vários animais. Na sua copa vive uma águia que tem um falcão pousado entre os seus olhos. Sob os seus galhos, cabritos e veados comem dos seus . A raiz que mergulha em Niflheim é roída pelo dragão Nidhogg. Ao longo desta raiz, o esquilo Ratatosk corre para cima e para baixo, levando insultos do dragão Nidhogg para a águia que vive no topo. A razão dos insultos é porque quando o dragão que vive a roer a raiz começa a prejudicar Yggdrasil, a águia voa até ele e ataca-o ferozmente; enquanto Nidhogg fica a lamber as feridas para sará-las, Yggdrasill recupera-se e o ciclo recomeça.

2 comentários