Opinião: Dança com o Diabo de Sherrilyn Kenyon

Dança com o Diabo (Predadores da Noite #4) Sherrilyn Kenyon Editora: Saída de Emergência Chancela: Chá das Cinco Sinopse: Zarek é ...

Dança com o Diabo (Predadores da Noite #4)
Sherrilyn Kenyon

Editora: Saída de Emergência
Chancela: Chá das Cinco

Sinopse: Zarek é o mais perigoso de todos os Predadores da Noite. Exilado no Alasca durante séculos, desprezado pela deusa que o criou e temido pela sua própria espécie, foi condenado à morte por Ártemis na sua última missão. A sua única hipótese de salvação vem do líder dos Predadores da Noite, Acheron, que convoca a justiça da ninfa Astrid; mas, em toda a história do mundo, Astrid nunca considerou ninguém inocente… Dizem que mesmo o homem mais amaldiçoado pode ser perdoado, mas conseguirá Zarek convencer Astrid de que, por trás de uma besta feroz, se esconde um ser humano que deseja amar e ser amado?


Opinião: Dança com o Diabo é o quarto livro da saga Predadores da Noite. Neste livro conhecemos melhor o Predador da Noite Zarek.
Zarek está exilado no Alasca há mais de nove séculos com o mínimo contacto humano possível e com as mínimas condições possíveis. A sua casa é rude, ele dorme no chão, não suporta que lhe toquem e não deixa ninguém aproximar-se dele. Morreu como escravo e assim se julga como tal.

Algo de muito errado se passou na última missão de Zarek há mais de novecentos anos atrás. Com imagens confusas e tudo muito baralhado, Zarek só se lembra de ver morte à sua volta e julga-se culpado pela destruição da aldeia que era suposto estar a proteger. Ártemis quer condená-lo à morte mas Acheron não deixa, conseguindo que a vida de um dos seus predadores fosse poupada, mas com a troca de este ficar exilado do mundo.

No livro anterior, O Abraço da Noite, foi-lhe dada uma hipótese para mostrar que ele tinha mudado. Que conseguia ser sociável, mas até aí as coisas correram mal. Zarek tem agora a cabeça a prémio. Mas mais uma vez, Acheron consegue negociar com a Ártemis o julgamento de Zarek. Astrid, uma das ninfas, é agora responsável por julgar Zarek inocente ou culpado. E quando as vidas destes dois personagens se cruzam, nada fazia prever o que viríamos a descobrir.

Este livro acaba por ser bastante centrado em Astrid e Zarek. A evolução da relação entre os dois personagens principais tem um pouco de tudo. Diversão, tristeza, angústia, sofrimento, amor e paixão. Mais uma vez, este livro tem uma forte componente erótica, o que tem vindo a ser característico em cada um dos seus livros. Mas o que é mesmo tocante na relação destes dois, é a forma como vemos a personalidade de cada um mudar. A forma como inconscientemente se adaptam um ao outro. Zarek tem sempre bem presente que não é zé-ninguém. Que é um mero escravo e sempre vai ser. Mas até esta sua ideia de si próprio vai sofrer uma transformação que a ver dele seria impossível.

Neste livro, a autora apresenta-nos uma nova personagem mitológica, Tánatos, o carrasco dos predadores da noite. É fácil de adivinhar o papel dele neste livro, não é?
Para além de Tánatos, é-nos dado a conhecer, mais um pouco, a história de Acheron. Quem é que é este homem misterioso? Humano? Semi-deus? Que criatura é ele? A única coisa que sabemos é que ele preocupa-se com os seus homens como ninguém.
E claro, adorei Simi. Simi é o demónio que vive e faz parte de Acheron. Tem tiradas tão engraçadas que não pude evitar de dar umas boas gargalhadas.

Um romance apaixonante, cativante e que por vezes nos deixa à beira das lágrimas. Sempre com uma linguagem simples, mas que nos leva ao vício, Sherrilyn Kenyon prima pela sua imaginação. A cada livro que passa admiro-a pelo número de situações diferentes, vidas diferentes que ela cria, cada uma mais curiosa do que a outra.

Resumindo, é mais um livro de uma série que estou a adorar ler.

Opiniões dos restantes livros:
Amante de Sonho (#1)
Prazer da Noite (#2)
O Abraço da Noite (#3)

3 comentários