Opinião: 'O Fado da Sombra' (Crónicas de Allaryia #6) de Filipe Faria

O Fado da Sombra (Crónicas de Allaryia #6) Filipe Faria Editora : Presença Colecção : Via Láctea Sinopse : Os deuses estão mortos, e a...

O Fado da Sombra (Crónicas de Allaryia #6)
Filipe Faria

Editora: Presença
Colecção: Via Láctea

Sinopse: Os deuses estão mortos, e a sua queda deixa Allaryia à beira de uma espiral de desordem e destruição. As sementes dos planos d´O Flagelo germinam em segredo, e Aewyre Thoryn e os seus companheiros são os únicos que estão cientes da insidiosa ameaça, bem como os únicos em condições de a combater. Dá-se então início a uma desesperada corrida contra o tempo, enquanto servos renegados de Seltor conspiram para levarem a cabo a queda de Ul-Thoryn. Uma ameaça de tempos imemoriais acerca-se entretanto da Pérola do Sul, ameaçando cortar pela raiz a resistência contra O Flagelo. Este é ponto de viragem da Oitava Era, após o qual nada será como dantes em Allaryia, que neste sexto volume levanta a parada num inesquecível épico de acção e aventura.



Opinião: O sexto volume d'As Crónicas de Allaryia traz com ele imensos acontecimentos surpreendentes. Se nos volumes anteriores ficámos na expectativa do que é que iria acontecer aos nossos companheiros, neste muitas resoluções nos são apresentadas algumas delas surpreendendo-me mais do que imaginava.

Uma das personagens mais destacadas neste volume é Quenestil que finalmente encontra um sentido para tudo o que o vinha atormentando nos últimos livros. Depois de em Vagas de Fogo este ter ficado incubido de ir à procura do chamado fragor, Quenestil acaba por percorrer um caminho de descoberta de si mesmo. O animal em si é despertado ainda mais e é ele agora a única esperança como percursor das Vagas de Fogo.

Quanto a Aewyre, quando este finalmente chega ao seu reino não podia ficar mais desolado. O caos está instalado em Ul-Thoryn, a guerra está eminente e as conspirações não cessam. Vale-lhe o tão esperado reencontro com mais alguns companheiros que o vão tentando ajudar na sua tão difícil missão em tentar manter alguma estabilidade no reino enquanto se tentam preparar para uma guerra com o Flagelo.

A personagem que sem dúvida mais me surpreendeu foi Seltor. Todas as suas acções, desde que o conhecemos, nos levam a pensar que ele é o terrível da fita, o Flagelo, a sentença de morte para quem quer que seja. No entanto 'O Fado da Sombra' vem trazer alguma ambiguidade à nossa opinião sobre esta personagem. Ficamos mesmo sem saber o que pensar ao certo sobre ele.

O livro é bastante extenso e o facto de ter batalhas descritas em mais que uma dezena de páginas nem sempre ajudou à sua leitura. Mas uma coisa é certa, aprendo sempre palavras novas a cada volume que passa! Não obstante, foi um dos livros que mais gostei. Dá sem duvida um novo fôlego à recta final desta saga.

Em breve lerei o tão esperado final! Será que os amigos todos se vão reencontrar? Será que Aewyre voltará a si mesmo? Que acontecerá a Slayra e Quenestil? E Seltor, essa personagem enigmática, quais serão mesmo os seus desígnios? Filipe Faria soube como abrir o apetite nos capítulos finais. Muito bom.

Mais opiniões d'As Crónicas de Allaryia
A Manopla de Karasthan
Os Filhos do Flagelo
Marés Negras
A Essência da Lâmina
Vagas de Fogo

3 comentários