Opinião: Anjo Mecânico (Caçadores de Sombras - As Origens #1) de Cassandra Clare

Anjo Mecânico (Caçadores de Sombras - As Origens #1) Cassandra Clare Editora : Grupo Planeta Sinopse : Quando Tessa Gray, uma jovem...

Anjo Mecânico (Caçadores de Sombras - As Origens #1)
Cassandra Clare

Editora: Grupo Planeta

Sinopse: Quando Tessa Gray, uma jovem de dezasseis anos, atravessa o oceano para se reunir ao irmão, o seu destino é a Inglaterra do reinado da rainha Vitória e aventuras aterrorizantes aguardam-na no Mundo-à-Parte de Londres, onde vampiros, bruxos e outras personagens sobrenaturais palmilham as ruas iluminadas a gás. Apenas os Caçadores de Sombras, guerreiros que se dedicam a livrar o mundo de demónios, conseguem manter a ordem no caos.
Raptada pelas misteriosas Irmãs Escuras, membros de uma organização secreta chamada Clube Pandemonium, Tessa fica a saber que também pertence ao Mundo-à-Parte e que possui uma habilidade rara: o poder de se transformar, quando quer, noutra pessoa. Além disso, o Magister, a figura misteriosa que dirige o clube, tudo fará para reclamar o poder de Tessa para si.
Sem amigos e perseguida, Tessa refugia-se junto dos Caçadores de Sombras do Instituto de Londres, que lhe juram encontrar o irmão se usar o seu poder para os ajudar. Em breve se sente fascinada, e dividida, entre dois amigos: James, cuja beleza frágil esconde um segredo mortal, e Will, um rapaz de olhos azuis, cujo humor cáustico e temperamento volúvel mantêm toda a gente à distância... ou seja, todos menos Tessa. Enquanto a investigação os vai arrastando para o âmago de uma conspiração tenebrosa que ameaça destruir os Caçadores de Sombras, Tessa percebe que poderá ter de escolher entre salvar o irmão e ajudar os seus novos amigos a salvar o mundo... e que o amor pode ser a magia mais perigosa de todas

Opinião: O mundo dos Caçadores de Sombras não me é de todo desconhecido. Há uns anos estreei-me neste mundo com A Cidade de Ossos e desde então acompanhei essa série em tempo real, ficando a cada livro mais interessada. O que eu na altura não sabia é que havia uma espécie de série paralela que relatava as Origens desses mesmos Caçadores de Sombras. Anjo Mecânico é então o primeiro volume dessa outra série.

Foi engraçado e ao mesmo tempo estranho, rever personagens que ainda existem nos Caçadores de Sombras; como Magnus Bane ou Camille. A série Origens passa-se num espaço temporal bem anterior à série Caçadores de Sombras, as vidas deles são diferentes, mas algumas das suas opções são reconhecidas como consequências na série protagonizada por Clary e Jace.

O ambiente de Anjo Mecânico é de uma Londres já quase esquecida e parcialmente inexistente. Estamos nos tempos das máquinas a vapor e dos desenvolvimentos tecnológicos. Nesta cidade escura, com as devidas regiões obscuras, elementos do Mundo-à-Parte caminham nas sombras longe de estarem inocentes da catástrofe que se aproxima. Gostei do conceito 'não é feito nem do céu, nem do inferno, como poderá ser parado?'. Muitas perguntas fazemos nós, mas as respostas são poucas.

Will e Tessa fizeram-me lembrar um pouco de Jace e Clary apesar de as diferenças entre ambos os casais serem óbvias. Talvez seja por serem o par romântico, talvez seja por parecer que por mais voltas que a história dê, eles estão destinados a que nada seja simples. A minha personagem preferida ainda assim foi James. Ele tem aquele toque trágico ao qual é fácil nos ligarmos sem haver aquele sentimento de pena. Não é coisa que ele queira que sintamos e isso torna-o ainda forte aos olhos do leitor.

Passados complicados e obscuros, segredos não revelados, perigo iminente e todo um novo mundo por descobrir marcam o compasso do Anjo Mecânico. Cassandra Clare recriou aqui toda uma nova estrutura que só levanta questões para quem já leu os cinco livros dos Caçadores de Sombras. Sabemos que de alguma maneira a história há-de convergir para o mundo que conhecemos fazendo com que seja irresistível continuar a ler. Mesmo sendo um livro de introdução, gostei e espero brevemente ler o segundo já intitulado de Príncipe Mecânico.

0 comentários