Opinião: Prazer Ardente de Lisa Kleypas (À Flor da Pele #4)

Prazer Ardente (À Flor da Pele #4) Lisa Kleypas Editora : Porto Editora Chancela : 5 Sentidos Sinopse : Procurou-lhe de novo ...

Prazer Ardente (À Flor da Pele #4)
Lisa Kleypas

Editora: Porto Editora
Chancela: 5 Sentidos

Sinopse: Procurou-lhe de novo a boca, abriu-lha, mergulhando naquela seda húmida, quente, com um sabor íntimo que o punha doido. Depois de três temporadas em Londres em busca de pretendente, o pai de Daisy Bowman informa-a de que deverá arranjar marido. E depressa. E se Daisy não conseguir desencantar um candidato adequado, terá de se casar com um homem da escolha do pai: o cruel e emproado Matthew Swift.
Daisy está aterrorizada, mas uma Bowman jamais admite a derrota. E, por isso, a jovem decide fazer os possíveis para arranjar outro pretendente que não Matthew. Mas Daisy não contava com o charme inesperado de Swift… nem com a sensualidade escaldante que depressa brota entre ambos, acabando por descobrir que, apesar de os segredos e intrigas que o destino teima em impor, o homem que sempre odiou poderá ser aquele com que sempre sonhou.


Opinião: Tudo começou com um grupo de quatro solteironas que decidiu unir esforços para mudarem essa sua condição desesperada. Annabelle, Evie, Lillian e Daisy, são quatro mulheres que construíram laços de amizade tão fortes que rapidamente se tornaram fundamentais umas para as outras. Neste Prazer Ardente, que é suposto ser o derradeiro final da série À flor da pele, temos Daisy como protagonista com a sua maneira de ser tão especial, a sua cabeça sempre no mundo dos livros e dos sonhos, mas de uma personalidade férrea e convicta daquilo que quer e não quer.

O ultimato por parte do pai é bastante claro, ou ela arranja um marido por ela, ou no final da temporada terá de casal com Matthew Swift. As recordações que as irmãs Bowman têm sobre este homem não são nada positivas e logo se torna urgente conseguir arranjar alguém bem mais adequado para Daisy. Com a influência do conde Westcliff, vários cavalheiros são convidados para a sua herdade com o objectivo de pelo menos um deles vir a cortejar a nossa última solteirona. Embora esta não tenha mostrado grande entusiasmo, é num passeio inocente que acaba por dar de caras com um cavalheiro de ar meio selvagem, mas extremamente atraente. Quando este a aborda, ela não quer acreditar que se trata de Matthew e todo o desenrolar de acontecimentos é tudo menos o esperado para ambos os nossos protagonistas.

Embora da parte do leitor se torne claro, desde muito cedo, que este casal terá um final feliz, Lisa Kleypas conseguiu manter o interesse na história através de uma magnífica exploração dos cenários e de personagens já apresentadas em volumes anteriores da série. A descoberta dos sentimentos, o aproximar tentador, porém proibido, do nosso casal, está maravilhosamente bem escrito, numa prosa muito bela e que nos deixa tão apaixonados quanto Daisy e Matthew. Forma-se um carinho tão grande por eles que, mesmo não havendo aquela paixão frenética e perigosa que houve em livros anteriores, damos por nós ávidos por mais umas páginas até que quando nos apercebemos, já acabou.

Fazendo um balanço geral, À Flor da Pele foi das séries que mais gosto me deu ler. Não só porque a autora sabe como criar um ambiente mágico, romântico, ao mesmo na iminência da tragédia, como personagens fantásticas, de personalidades únicas e vorazes, mulheres determinadas e senhoras de si que ao mesmo tempo se desmancham com as atenções de quem amam. Adorei conhecer estas quatro protagonistas fantásticas e vou ter saudades das suas peripécias. 

0 comentários