Opinião: As Portas da Meia-Noite de Lara Adrian (Raça da Noite #8)

As Portas da Meia-Noite (Raça da Noite #8) Lara Adrian Editora : Quinta Essência Sinopse : Numa encruzilhada entre a morte e o ...

As Portas da Meia-Noite (Raça da Noite #8)
Lara Adrian

Editora: Quinta Essência

Sinopse: Numa encruzilhada entre a morte e o desejo, uma mulher saboreará um prazer a que nenhum mortal será capaz de sobreviver.
No árido e gélido deserto do Alasca, a ex-agente da polícia Jenna Darrow consegue sobreviver a um acontecimento inexplicável que a fere no corpo e na alma. Contudo, a sua fuga traz-lhe um desafio ainda maior. No seu interior estão a ocorrer mudanças estranhas, e ela luta consigo própria para tentar compreender e controlar uma nova fome. Para isso, refugia-se em Boston no recinto da Ordem, uma antiga raça de guerreiros vampiros cuja própria existência está rodeada de mistério. Possivelmente, o mais misterioso de todos é Brock, um macho alfa melancólico de olhos negros e aspeto ameaçador cujas mãos têm o poder de consolar, curar... e seduzir.
Enquanto recupera com os cuidados de Brock, Jenna sente-se atraída pela missão da Ordem: fazer com que um inimigo cruel e o seu respetivo exército de assassinos pare de submeter a humanidade a um reino de terror. Apesar da determinação de ambos em lutar contra os próprios sentimentos e deixar-se levar apenas por uma atração física, Jenna e Brock ver-se-ão envolvidos num desejo muito mais selvagem do que a vida e mais forte do que a morte... Até que um segredo do passado de Brock e a mortalidade de Jenna submeterão o amor proibido que ambos sentem um pelo outro a uma última prova de fogo.


Opinião: A primeira coisa que me ocorre ao escrever sobre este livro é que acho incrível como é que, passados oito volumes da mesma saga, a autora ainda me consegue surpreender. Se pelo meio houve volumes mais mornos, a verdade é que o enredo da Raça da Noite volta a aquecer em As Portas da Meia-Noite. Através de Jenna Darrow e de Brock, voltamos a entrar num ciclo vicioso e compulsivo de leitura imparável. A acção recomeça exactamente no ponto em que terminou no volume anterior e cedo nos apercebemos que estamos perante algo desconhecido, um dado novo e misterioso em relação a tudo o que foi vivido até aquele momento.

O passado de Jenna tem muito que se lhe diga, principalmente no que toca ao sentimento de culpa que transporta com ela constantemente. Se ainda há uns dias desejava morrer, é certo que quando lhe deram a escolher se queria viver ou morrer, esta cedeu ao seu verdadeiro desejo de viver. As consequências dessa escolha, irão mostrar-se mais imprevisíveis e insólitas do que, tanto ela como a Ordem, poderiam imaginar. A seu lado continua Brock, desculpando a sua atracção e constante preocupação com o seu sentido de dever de protecção a Jenna.

A acção desenvolve-se a bom ritmo e acabamos por ter muito a acontecer ao mesmo tempo. É o estranho desenvolvimento da constituição química e física de Jenna, a perseguição a Dragos, a missão de encontrar as companheiras de raça desaparecidas, tudo envolto numa aura de perigo e de sensação de desastre constantes. Jenna e Brock mostram-se dois protagonistas de peso, em que as suas emoções profundas, sinceras e muitas vezes obscuras, nos tocam e nos fazem sentir uma empatia enorme por eles.

Apesar de ser uma série de Literatura Erótica dentro do género Fantástico, a verdade é que estes livros têm o poder de nos fazer ferver o sangue e acelerar o ritmo cardíaco. Estou muito curiosa com o futuro de Jenna e vou esperar ansiosamente pelos próximos volumes. Para quem procura uma série leve, mas que ainda assim proporciona momentos de grande adrenalina, excitação e ao mesmo tempo um grande carinho, a Raça da Noite é uma das séries indicadas e vivamente recomendadas. 

0 comentários