Opinião: Sedução Perigosa de Jess Michaels

Sedução Perigosa Jess Michaels Editora : Quinta Essência Sinopse : Timida, obstinada e bela, Penelope está determinado a expor ...

Sedução Perigosa
Jess Michaels

Editora: Quinta Essência

Sinopse: Timida, obstinada e bela, Penelope está determinado a expor os casos licenciosos dos homens mais atrevidos da sociedade. Agora um deles - o libertino arrependido Jeremy Vaughn, duque de Kilgrath - foi escolhido para pôr fim à interferência da pudica senhora. O plano de Jeremy é diabolicamente inteligente: irá juntar-se à guerra de Penelope contra a imoralidade, lutando apaixonadamente ao seu lado, ao mesmo tempo que a enche de missivas eróticas anónimas destinadas a excitar mesmo a mais fria e mais relutante mulher. Irá derrubar as suas defesas e inflamar os seus desejos reprimidos por acompanhá-la (no interesse da sua «nobre campanha») aos palácios do prazer mais notórios de Londres. E irá visitar o boudoir dela - mascarado - durante a noite para a ensinar nas artes deliciosamente pecaminosas ela deseja abolir. Em seguida, irá expor a sua hipocrisia ao mundo.
Mas o esquema do belo duque está fadado ao fracasso pois a bela Penelope liberta-se de todas as inibições e cede livremente a todos os caprichos dele. Pois neste jogo sensual de corações, é o sedutor que se torna seduzido.


Opinião: Ler Jess Michaels é sempre sinal de que nas próximas horas nos vamos rir, transportar para outros tempos em que a sociedade está cheia de etiquetas, (falsos) moralismos, e em que o escândalo pode acabar com a vida social de uma pessoa. Os bons casamentos, os interesses financeiros e, principalmente, a imagem que os outros têm do indivíduo, tomam graus de significância hoje considerados desmedidos, mas que na altura faziam parte do ar que respiravam. Em Sedução Perigosa revisitamos Penelope, desta vez sendo ela a protagonista de todo enredo.

O casamento de Penelope com um homem bem mais velho, para poder livrar a família de algumas despesas, é um facto que já conhecíamos do volume anterior, Emoções Proibidas, mas que agora sabemos terminado por este ter falecido. Após ter sido mal tratada durante o seu casamento, principalmente psicologicamente, a nossa protagonista está decidida a acordar todas as suas amigas para as realidades mais controversas dos seus maridos. O início nem sequer foi propositado, tendo feito apenas um comentário em relação ao tema das amantes e das noites repletas de luxúria dos maridos, mas rapidamente as amigas começaram a procurar inspiração nela para poderem controlar mais os seus maridos. Resultado? Pois claro, os homens ficaram furiosos e ansiosos por conseguir calá-la.

Planos começaram a ser delineados, mas foi literalmente na sorte, no jogo dos pauzinhos - quem fica com o mais curto perde - que Jeremy viu a sua vida mudar. Ao início de forma imprevisível, pois tudo o que ele queria era que os amigos se calassem, e para isso teria de convencer Penelope a parar com aquelas reuniões feministas, porém, à medida que se foi envolvendo com ela, quer sob a sua verdadeira identidade, quer sob um desconhecido que lhe escreve cartas eróticas, foi caindo na própria rasteira.

Esta é uma obra leve, que ainda assim consegue mostrar quão hipócritas e cínicas as pessoas conseguem ser, mas acima de tudo retrata uma mentalidade completamente oposta à dos dias de hoje, e como o papel da mulher foi mudando ao longo dos tempos. Não tão antípoda assim, é o sonho de qualquer mulher em encontrar um amante que a satisfaça, que a faça descobrir novos prazeres e que a faça sentir por inteiro. Existe toda esta descoberta sexual, intensa no erotismo e nos cenários descritos que, eventualmente, poderá fazer corar mentes mais pudicas. Resumindo, é um romance enternecedor, de personagens que nos conquistam e que no fim traz uma boa lição de sentido de justiça. Encantador.

0 comentários