[Reportagem] Moullinex no CCB com a participação de Iwona Skwarek e dos Best Youth

Fotografia por Sofia Teixeira Foi no passado dia 27 de Junho que Moullinex arrasou em pleno concerto no Centro Cultural de Belém. Se ...

Fotografia por Sofia Teixeira
Foi no passado dia 27 de Junho que Moullinex arrasou em pleno concerto no Centro Cultural de Belém. Se quando o entrevistei, uns dias antes, tinha ficado fascinada com a postura de Luís Clara Gomes, a verdade é que mal pisei o pequeno auditório, algo atrasada devido ao trânsito infernal na marginal, a energia contida naquela sala arrebatou-me completamente.

Ao vivo, Moullinex faz-se acompanhar de Bruno Cardoso, também conhecido como Xinobi, e Miguel Vilhena. Vestidos a rigor e completamente aprimorados, este trio colocou toda a gente em pé e a dançar. Passando por clássicos como Take My Pain Away e dando forma ao novo single Love Magnetic, animação foi o que nunca faltou, ao som da conjugação rítmica destes três músicos fantásticos. Para além da empatia entre eles ser óbvia, o jogo de troca de instrumentos e posições pelo palco é algo que só com muita experiência e harmonia pode correr bem. 

Fotografia por Daniel Azevedo
Um grande ponto a favor deste concerto foram as colaborações. Começando com a fantástica Iwona Skwarek com o seu registo sempre sensual, tivemos a oportunidade de ouvir, entre outras, To Be Clear, Darkest Night e Deja Vu, com um destaque especial para estas duas últimas. A primeira, porque foi impossível ficar indiferente à sintonia e ao respeito não só em palco como do público. Toda a atmosfera desta música, a interacção entre os músicos, a dança natural que assaltava o corpo de quem assistia, tornou o momento mágico. Já com Deja Vu, o solo inicial de Luís Clara Gomes no piano foi solene, fazendo o público sentar-se para que, com a entrada de Iwona, voltar a levantar-se e não mais parar até ao final. Uma parceria que funciona muito bem em disco, mas que ao vivo toma proporções magnificentes. 

Fotografia por Daniel Azevedo
E se elogios não param de ser tecidos à colaboração de Moullinex com Best Youth, ainda menos ficaram por fazer depois da actuação em conjunto. Na entrevista que me deu, Luís Clara Gomes afirmou com toda a convicção "fizemos uma música juntos e foi tão fácil que só fazia sentido agora chamá-los", e tinha toda a razão. Catarina Salinas e Ed Rocha Gonçalves subiram ao palco para uns bons minutos de música, com In the Shade, numa sonoridade impossível de categorizar, tal é o entrelaçamento e a fusão dos dois estilos.

Não tenho problemas nenhuns em admitir que foi um dos melhores espectáculos a que já assisti. A música disco consegue ser muitas vezes subvalorizada e vista como apenas música de dança numa discoteca, mas se há prova que em concerto todos esses conceitos se tornam em preconceitos, Moullinex & Companhia no CCB foi, de facto, dos melhores exemplos possíveis.

0 comentários