Ai que ele vem aí...! [Diário de Bordo XXXI] - Escritaria 2014

Estou na manhã do meu segundo dia em Penafiel e não podia estar mais encantada. Para além de ser a minha estreia num Festival Literário...



Estou na manhã do meu segundo dia em Penafiel e não podia estar mais encantada. Para além de ser a minha estreia num Festival Literário, não é difícil chegar à conclusão que, mesmo dentro desse tipo de eventos o Escritaria tem algo que o destaca, um toque de personalidade e carácter que não se tem porque se quer, mas porque se conquista. Nunca antes tinha visto uma cidade de tal maneira compenetrada e dedicada a um único objectivo - homenagear um escritor em que tudo o que é património - lojas, casas, espaços públicos - está de alguma maneira marcado com a imagem deste autor. Passear pelas ruas de Penafiel, neste momento, é passear pela obra literária de Lídia Jorge, caminhar de mão dada com citações, pequenos excertos e vários dos elementos ligados às narrativas que até hoje nos proporcionou. 

Começou no dia 1 de Outubro e desde então as actividades têm sido intensas e constantes. Teatro de Rua, a passagem diária do filme "O Dia dos Prodígios", adaptado e encenado por Cucha Carvalheiro, arte pública ao vivo espalhada em vários pontos da cidade, conversas com Lídia Jorge exposições na Biblioteca Municipal, entre outros. 

A sensação que dá, quando mergulhamos no mundo do Escritaria, é que estamos a quebrar barreiras no que toca à exposição do autor em relação aos seus leitores. Enquanto leitora, quando leio as várias obras de um autor apenas consigo imaginar o que lhe passa pela cabeça, de que forma é que o que leio pode ou não ser parte da sua personalidade. Neste Festival, não só testemunhamos as reacções de Lídia Jorge a todas as manifestações que existem como reflexo da sua arte escrita, como também nos sentamos à sua mesa, conversamos e tornamos toda esta distância entre leitor e escritor praticamente inexistente. 

Farei um post, mais tarde, dedicado ao que pude presenciar, mas entretanto deixo-vos o álbum das fotografias que tirei até agora, como testemunha de toda esta belíssima homenagem à grande mulher, e escritora, que é Lídia Jorge - http://www.branmorrighan.com/2014/10/fotografia-escritaria-2014-chegada.html

Numa última nota, deixo a minha alegria por ser pioneira em quebrar barreiras. O Morrighan é um blogue pessoal e tem sido nesse contexto que tem sido convidado para os vários eventos musicais e literários. Se em Paredes de Coura foi o primeiro blogue pessoal a ser convidado como imprensa, também a nível de Festivais Literários se quebra agora essa barreira. O meu profundo agradecimento pela oportunidade e pelo voto de confiança. 


0 comentários