[Opinião Blog Morrighan] Love and Thrive, de We Bless This Mess

Love and Thrive, o primeiro EP oficial de We Bless This Mess, projecto a solo de Nelson Graf Reis, também conhecido como membro da banda...


Love and Thrive, o primeiro EP oficial de We Bless This Mess, projecto a solo de Nelson Graf Reis, também conhecido como membro da banda Blackjackers, é o resultado de uma felicidade fortuita. Talvez o Nelson, ao viajar para o Brasil e ao mostrar as suas músicas, nunca tivesse pensado que ia sair de lá com disco gravado, mas a verdade é que saiu - e ainda bem. 

Se o título já é sugestivo de uma alegria quase infantil e genuína - Ama e Prospera - cada música vem ajudar a fechar esse círculo de vontade, do provocar o brilho nos olhos ao contemplarmos o que nos rodeia e também de vermos cada dia como um evento único. O ritmo folk, a voz alegre, o espírito dançante de celebração, fazem com que este pequeno disco (em duração), se torne em algo querido ao coração. 

I heard a man say "we only live once" 
but I live once every day 

Aside Heaven and Hell There's Peace, a primeira faixa do disco começa logo com uma guitarra acústica a puxar pela batida do pé no chão. O ritmo animado, a letra esperançosa, fazem-nos entrar facilmente na melodia. Gosto do optimismo, deste jogo de encararmos o pior como algo passageiro. Para seguirmos em frente, o passado deve ficar onde está - lá atrás. 

And my breath is something conscious 
That fires from inside 
I'm no longer living on imaginary chairs 

Continuamos num ritmo mais calmo com Darling, em tom de balada, numa partilha de sonhos e de amor, numa perspectiva de força e persistência, de liberdade para amar e ser amado, para se lutar pela concretização do que se deseja. 

And if it's not the moment 
turn around listen the sound of walls 
breacking down 

'Being Alone' Is Not 'Being Lonely', a terceira música que nos relembra que por vezes somos nós que construímos as nossas próprias paredes e barreiras, tendendo a esquecer que tudo passa, e que por vezes tudo é mais simples do que aquilo a que nos forçamos a viver. Uma visão muito optimista de como encarar a solidão. 

The music feels like the cure 
Every single need is fullfilled 
turn inside to know the answers

O ritmo mais acelerado volta com Silence, como uma corrida, uma vez mais, na busca da felicidade que depende, maioritariamente, de nós e da nossa postura perante a vida. Por vezes o silêncio que trazemos connosco tem mais respostas do que pensamos. E a música! A musica realmente sabe sempre a cura de estado de espírito! 

We speak to the world with the sound 
Oh Oh Oh!

A viagem termina de mãos dadas com Friend. Uma ode à amizade, com menos de dois minutos, mas que culmina nessa alegria intensa de se estar vivo, de se ter amigos e de realmente ter gosto em estar vivo e em aproveitar tudo que nos é dado. 


À parte das interpretações, existe uma energia vibrante na sonoridade de We Bless This Mess que faz com tudo esteja em perfeita sintonia. O nome do projecto, do disco, a forma como as músicas estão compostas, com a expressão vocal a ser a cereja no topo do bolo. É verdade que nem sempre tudo corre bem, que muitas vezes só nos queremos enfiar num buraco  e esquecer tudo, mas são discos como estes que também nos ajudam a olhar em frente e a continuar. Influências Country & Folk, sim, mas acima de tudo uma vontade enorme de viver e de se ter gosto no que se vive. 

0 comentários