A rubrica "Os Artistas Portugueses no Vodafone Paredes de Coura" está de volta!

Há um ano estava a criar a rubrica Os Artistas Portugueses no Vodafone Paredes de Coura precisamente para dar destaque aos mesmos. Est...



Há um ano estava a criar a rubrica Os Artistas Portugueses no Vodafone Paredes de Coura precisamente para dar destaque aos mesmos. Este é o segundo ano que vou com acreditação ao Paredes de Coura e só faz sentido vestir essa pele se for para continuar em prol da divulgação da música portuguesa naquele que me é o festival de música em Portugal mais querido. Desde a edição de 2011 que por lá passo e mesmo com alguma massificação - afinal este ano já esgotaram os passes gerais! - tenho esperança que a experiência genuína se mantenha.

Voltando à rubrica, são vários os artistas portugueses que irão passar pelo anfiteatro natural de Paredes de Coura, mas é já amanhã na vila que temos o primeiro destaque - Les Crazy Coconuts! À semelhança do que aconteceu o ano passado, a vila antecede o festival e desde ontem que à noite é possível conhecer jovens bandas portuguesas. Como só estou em Paredes de Coura a partir de amanhã, só faz sentido falar daquilo que vou ver e como também já devem ter percebido pela evolução do blogue no último ano e meio, os Les Crazy Coconuts são a banda que, na minha opinião, mais promete evoluir nos próximos anos. A primeira vez que os vi foi no 5º Aniversário, ainda eram apenas três e tocaram em acústico, mas desde então foram várias as vezes em que os vi ao vivo - não me consigo cansar! - e o crescimento tem sido assombroso! No bom sentido, claro. Estando em Paredes de Coura é realmente um concerto a não perder. Para aqueles que estão a pensar ir só na Quarta, repensem bem a vossa vida pois vão perder um concertão! Ouvi dizer, por fontes próximas ali dos nossos meninos, que vão haver algumas surpresas! Pois é... Não venham depois dizer que não vos avisei!

Oficialmente o festival só começa na Quarta-feira e nesse dia temos Gala Drop! Nunca os vi ao vivo, confesso, por isso a estreia vai ter direito a um post único! Deixo-vos a descrição oficial do festival: "Os Gala Drop, apurado desenho sonoro feito a partir de um sofisticado decalque de várias influências musicais, estão confirmados para a edição deste ano do Vodafone Paredes de Coura. Com influências assumidas do kraut-rock, que sempre souberam misturar com o groove de raíz africana, e a que juntam o dub ou a house, são criadores de um território de fronteiras originais e que, por isso, se torna tão especial. Para as margens do Taboão levam II, álbum editado em 2014, e toda a paisagem sonora contagiante da sua música, maré cheia de ritmos e possibilidades oníricas luminosas.​"

Dia 20, Quinta-feira, temos dois grandes da música portuguesa - Peixe:Avião e The Legendary Tigerman -  e ainda o recente projecto Mirror People. Os primeiros dois já vi uma boa quantidade de vezes, mas para quem não viu fiquem a saber que são uma aposta ganha. Peixe:Avião tem um estilo muito próprio - falam pouco, mas dão muito. A intensidade nos seus concertos é palpável, a interacção é escassa, mas o que é certo é que o público costuma vibrar imenso e o novo disco está prestes a sair! Já The Legendary Tigerman é sempre imprevisível! Munido de uma energia única, Paulo Furtado é uma personalidade do rock português incontornável e os seus concertos costumam levar o público a um delírio muito próprio. Tanto em Portugal como no estrangeiro The Legendary Tigerman cumpriu a profecia do seu nome - tornou-se lendário! Já o projecto de Rui Maia - Mirror People - vai ser uma estreia, mas uma estreia muito querida, pois tenho muita curiosidade em ver ao vivo. Gostei do disco e é sem dúvida uma boa banda para abrir o after hours!

Dia 21 temos mais uns quantos nomes extraordinários! Os X-Wife estão de volta e vão abrir o palco Vodafone. "O power trio electro-rock edita novo álbum em breve, depois de um hiato de três anos, ao longo do qual João Vieira editou enquanto White Haus , Rui Maia lançou um álbum na pele de Mirror People e Fernando Sousa colaborou com os Best Youth, There Must Be a Place e PZ. Movin Up o single recente que tomou as rádios de assalto traz a identidade dos seus 13 anos juntos, a aliança entre o nervo rock e a frescura das tendências de dança mais recentes.​" Nicole Eitner and the Citizens abre o palco secundário: "A luso-alemã Nicole Eitner a prometer emocionar a Praia Fluvial do Taboão com a sua voz sublime, poderosa e ao mesmo tempo delicada. O percurso de Nicole comprova o talento natural desta compositora, pianista e cantora que em 2009 ganhou o 1º prémio do Festival SXSW no Texas para gravar nos emblemáticos Sun Studios de Elvis Presley, ou que em 2011, já ao lado dos The Citizens, actua em Cannes depois de vencer o Midem Off Showcase Competition. Fade to Shade é o terceiro álbum de Nicole and The Citizens, um disco que reflecte uma evolução estética em relação aos registos anteriores e que cria ambientes plenos de mistério e inquietude, nuances de um filme romântico a preto e branco." São dois concertos que quero muito ver, os primeiros porque já não vejo X-Wife há anos e a segunda porque nunca vi e tenho imensa curiosidade!

Dia 22, a fechar o destaque nas participações portuguesas no Vodafone Paredes de Coura temos Holy Nothing, que o ano passado actuaram na vila e agora sobem ao palco Vodafone.FM. O disco está prestes a sair e, na minha opinião, são outra jovem banda portuguesa muito promissora. É um projecto que "mistura projecções com sintetizadores, sustenta a palavra com imagens impactantes e funde música e cinema numa realidade expressiva bastante complexa. Desde 2013 a movimentarem-se pelos caminhos infinitos da música electrónica, e já com o aclamado EP de 2014 Boundaries na bagagem, o grupo prepara-se para lançar em Setembro o álbum de estreia Hypertext. O resultado de um ano intenso de composição e experimentação é aquilo que podemos testemunhar no dia 22 de Agosto no Vodafone Paredes de Coura, numa actuação com várias referências unificadas no método muito próprio dos Holy Nothing construírem canções."
Temos também a Banda do Mar que tem conquistado o país como poucos, cujo maior trunfo é mesmo a cumplicidade e o carinho que os seus elementos partilham em palco. "Quando Marcelo Camelo e Mallu Magalhães trocaram o Brasil por Portugal, estavam longe de saber que dessa mudança nasceria a Banda do Mar, projeto que se completa com o português Fred Ferreira. 2014 viu nascer a parceria luso-brasileira com o lançamento do homónimo álbum de estreia, que os tem levado a esgotadas salas dos dois lados do Atlântico. No Vodafone Pareces de Coura, as contagiantes canções da banda têm tudo para funcionar em pleno com o toque mágico da natureza envolvente.​"

Como vêem, só coisas boas e nacionais para vermos no meio de um cartaz e luxo no que também toca aos nomes internacionais. Por aqui depois falarei dos concertos que gostei mais, tanto nacionais como internacionais, mas contém com os destaques habituais ao que é nacional! Não esquecer que também o Jazz na Relva conta com nomes como Peixe, Macadame, entre outros! Fiquem atentos e BOM FESTIVAL! 

0 comentários