Este Domingo na Zé Dos Bois (ZDB) - LIBERDADE JÁ | FREEDOM NOW - Solidariedade com os activistas e presos políticos de Angola

Antes de deixar o comunicado da ZDB queria só dar os parabéns à mesma pela iniciativa e enaltecer o cartaz de luxo apresentado. É bom ve...


Antes de deixar o comunicado da ZDB queria só dar os parabéns à mesma pela iniciativa e enaltecer o cartaz de luxo apresentado. É bom ver os intervenientes da nossa cultura tomarem acção em iniciativas de louvar. A entrada é livre, quem puder é apoiar a causa aparecendo! 

Em prol da campanha LIBERDADE JÁ | FREEDOM NOW, acontecerão em simultâneo, este próximo Domingo dia 2 de Agosto, em Luanda e em Lisboa, concertos em Solidariedade com os activistas e presos políticos de Angola sob acusação de tentativa de golpe de estado. A demora na apresentação das evidências que provem o alegado crime, tem causado uma enorme onda de indignação em várias esferas da sociedade angolana, portuguesa e também no seio da comunidade internacional.

Em Lisboa, na Galeria Zé dos Bois das 18h às 24h, passarão pelo palco os artistas e músicos: Alek Rein, Aline Frazão, António Poppe, B Fachada, Bilan, Candidato Vieira, Dino d'Santiago, Dj Satélite, Dj Ricardo, Éme, Kalaf, Hélio Morais, Joaquim Albergaria, Makoto Yagyu, Maio Coopé, Marta Dias, Pedro Sousa, Pega Monstro, Selma Uamusse e Ricardo Pinto, Tiago Sousa, X-Hangué Duo.

Em Luanda, no mesmo dia e hora no Elinga Teatro, subirão ao palco os músicos e artistas: Abada Capoeira - Zwela Hungu, Laurinda Manuel Gouveia, Manuel Victoria Pereira, MC K, Jack Nkanga, Mona Dya Kidi, Pretos Racionais, Jang Nómada, Emmanuel Pittra, Globo 112, Fat Soldiers, Dinamene, de entre outros.

Este evento, uma iniciativa de músicos, escritores, artistas e agentes culturais, visa por este meio solidarizar-se com os activistas presos há mais de um mês. Este é um apelo ao direito à liberdade de expressão e de pensamento.

Não podemos ficar indiferentes perante esta situação em Angola. Acreditamos que o silêncio, para além de nos tornar cúmplices de uma grande injustiça, é também o maior algoz da liberdade. Pretendemos assim, unir as nossas vozes às do POVO ANGOLANO para que todos participemos no seu crescimento, com os olhos secos, e com o coração livre do medo.

0 comentários