[DESTAQUE] Em Setembro, pela Bertrand Editora: J, de Howard Jacobson, uma Distopia

J Howard Jacobson Género: Ficção Tradução: Luísa Feijó Formato: 15 x 23,5 cm N.º de páginas: 352 Data de publicação: 25 de...


J
Howard Jacobson

Género: Ficção
Tradução: Luísa Feijó
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 352
Data de publicação: 25 de Setembro
PVP: 17,70 €

Depois de ter ganho o Man Booker Prize em 2010, Howard Jacobson foi finalista da shortlist de 2014 com esta distopia literária.

LIVRO
Passado num lugar onde a memória colectiva desapareceu e o passado é um território perigoso, que não deve ser visitado e de que não se deve falar, J é uma história de amor estranha e inventiva, terna e aterradora.
Kevern não sabe por que razão o seu pai levava dois dedos aos lábios sempre que dizia uma palavra começada por jota. Não era o tempo nem o lugar certos, e continuam a não ser, para se fazer perguntas. Ailinn também cresceu sem saber quem era ou de onde vinha. Quando se conhecem, Kevern sente-se imediatamente atraído por ela e, apesar de desconfiados por natureza, aquilo que os une é de tal forma poderoso que parecem ter sido feitos um para ou outro.
Juntos, formam um refúgio contra a brutalidade corriqueira deixada por uma catástrofe histórica envolta em desconfiança e negação, conhecida simplesmente como AQUILO QUE ACONTECEU, SE É QUE ACONTECEU. À medida que as ações do casal os vão aproximando cada vez mais do perigo, há uma força desconhecida que os quer manter juntos, custe o que custar. Mas a história de amor que os une pode ter consequências devastadoras para a espécie humana.

AUTOR
Howard Jacobson é um escritor britânico nascido em 1942 e que estudou em Cambridge.
Em 2010 venceu o Man Booker Prize. É autor de treze romances e cinco obras de não-ficção.

IMPRENSA
«O romance mais inquietante da sua carreira».
The Telegraph

«Uma obra-prima da imaginação condimentada pela dor».
Chicago Tribune

«Uma história fascinante e de advertência sobre os perigos paradoxais da assimilação e da tranquilidade».
The Wall Street Journal

«Notável».
Guardian

«Um dos 50 melhores livros de ficção de 2014» 
Washington Post

«Há muito para pensar e discutir neste livro notável e perturbador.»
Booklist

0 comentários