[DESTAQUE] Em Outubro, pela Elsinore: O Que Vemos Quando Lemos, de Peter Mendelsund

O Que Vemos Quando Lemos de Peter Mendelsund Edição/reimpressão:2015 Páginas: 448 Editor: Elsinore ISBN: 9789896681951 «...


O Que Vemos Quando Lemos
de Peter Mendelsund

Edição/reimpressão:2015
Páginas: 448
Editor: Elsinore
ISBN: 9789896681951

«O Que Vemos Quando Lemos» traz até nós a arte, a provocação e as ideias de Peter Mendelsund. Trata-se do acontecimento editorial do ano para o público leitor mais exigente. Eis uma exploração singular e deslumbrante, inteiramente ilustrada, acerca da fenomenologia da leitura: como visualizamos imagens a partir da leitura de obras literárias?

LIVRO
O que vemos quando lemos? Tolstoi chegou a descrever Anna Karénina? Herman Melville alguma vez nos revelou a aparência exata de Ismael? O conjunto de imagens fragmentadas numa página — uma orelha elegante ali, uma madeixa rebelde acolá, um chapéu posicionado de determinada maneira — e outras pistas e significantes ajudam-nos a imaginar uma personagem. Mas, na verdade, a sensação de conhecermos intimamente uma personagem tem pouco que ver com a nossa capacidade de imaginarmos as figuras literárias que amamos (ou odiamos).
O Que Vemos Quando Lemos é uma exploração singular e deslumbrante da fenomenologia da leitura, mostrando-nos como formamos imagens a partir da leitura de obras literárias, e como essas interpretações transformam a própria obra.
Peter Mendelsund, um dos mais conceituados designers editoriais contemporâneos, combina uma carreira artística premiada com a sua primeira paixão, a literatura, num dos mais provocadores e invulgares exercícios acerca da forma como compreendemos o ato de ler.

AUTOR
O autor, um dos mais conceituados designers editoriais contemporâneos, combina uma carreira artística premiada com a sua primeira paixão, a literatura, num dos mais provocadores e invulgares exercícios acerca da forma como compreendemos o ato de ler.
Peter Mendelsund é diretor de arte associado da Alfred A. Knopf, uma das mais conceituadas editoras norte-americanas, e pianista clássico em recuperação. O seu trabalho tem sido reconhecido pelo Wall Street Journal como produzindo «as capas de livros mais icónicas e imediatamente reconhecíveis da ficção contemporânea». Vive em Nova Iorque.

IMPRENSA
«Um tratado ilustrado e divertido que explora os desafios particulares de transformar palavras em imagens, numa combinação de ilustração com filosofia, crítica literária e teoria do design.» - The New York Times

0 comentários