[Diário de Bordo] De volta a Lisboa e com tanto para contar...

... que nem sei por onde começar! Ontem cheguei tão cansada que mal tive oportunidade enfiei-me na cama e adormeci a ver séries! Que sér...


... que nem sei por onde começar! Ontem cheguei tão cansada que mal tive oportunidade enfiei-me na cama e adormeci a ver séries! Que séries, perguntam vocês? Bem, ahahah, tudo o que seja super-heróis. Foi o Flash, Arrow, Legends of Tomorrow e ainda comecei a ver Lúcifer. Não me condenem tão depressa, quando têm um trabalho que envolve estar com o cérebro sempre activo com todo o tipo de teorias e raciocínios, ao menos que as séries sirvam para rir, ou até chorar, mas sem grande esforço mental! 

Continuando... Sim, cheguei do Porto - de um maravilhoso 7º aniversário no Maus Hábitos por onde passaram mais de centena e meia de pessoas - cheia de saudades e de um brutal sorriso no rosto. Cansada, sim, mas valeu completamente a pena. A noite durou até às 5h da manhã e há um agradecimento que tenho de fazer antes de continuar - ao Eugénio Ribeiro. Sim, o mesmo sobre o qual fiz um posto, sim, o meu afilhado académico que se tornou parte daquela família que não é de sangue mas que escolhemos para nós. A sua companhia e boa disposição tornaram tudo muito mais fácil e leve. Por causa de uma reunião de docência que se atrasou algumas horas, saí de Lisboa já depois de almoço e chegar às 16h ao Porto era missão impossível. Ainda por cima com aquela chuvada ininterrupta durante os mais de 300km. Valeu a playlist dos anos 90 e 2000 que o Gé tem de punk e rock e eu sei lá. Deu para rir, sentir nostalgia, ele sabe as letras todas na ponta da língua e ao menos a ansiedade ia-se diluindo por entre a brincadeira, sempre atentos por causa do mau tempo. Mesmo depois da festa e na manhã seguinte, que normalmente são alturas em que tenho uma descarga de cansaço descomunal e nem da cama me apetece sair (sim, é verdade, depois dos aniversários eu tenho esta reacção um bocadinho oposta à euforia), tudo foi amenizado e ainda fomos comer uma bela francesinha ao Lado B, ele a melhor francesinha do mundo, eu a vegetariana. Raios para aquele molho do demo picante, mas estava tudo óptimo! 

Neste post ainda não vou relatar como foi a festa, acho que isso merece post próprio, mas queria deixar-vos com alguma curiosidade. Sabem que no Porto o ano passado tive só perto de 50 pessoas? Este ano foram mais de três vezes mais, foi mesmo muito bom! E outra coisa boa deste fim-de-semana é que a Omnichord Records comemora 4 anos de existência e eu também não podia estar mais orgulhosa de uma equipa que sempre me acolheu de braços abertos e que é também já parte do meu grupo de pessoas especiais. Mas não vou ficar por aqui e tenho outra pessoa extraordinária também com um novo trabalho para apresentar, o João Pedro Fonseca. Sim, o maravilhoso autor deste layout (que ainda está por ser apresentado oficialmente) e o transcendente artista plástico que é, partilhou comigo um trabalho que fizeram sobre ele e que vou querer que todos vocês vejam. A honestidade e sinceridade do mesmo merece a nossa admiração. 

E para já é isto, fiquem atentos que os posts vão começar a sair, cada um com a sua unicidade e toque de momentos inesquecíveis. Beijos! 

0 comentários