Entrevista aos Ganso, Banda Portuguesa, sobre o EP Costela Ofendida

Os Ganso são uma jovem banda portuguesa que invadiu as rádios e conquistou desde logo com o tema Pistoleira. Entre o rock e o psicadélico, ...

Os Ganso são uma jovem banda portuguesa que invadiu as rádios e conquistou desde logo com o tema Pistoleira. Entre o rock e o psicadélico, mas com muitas outras coisas à mistura, estes cinco rapazes, que escolheram o nome da sua banda graças a terem-se cruzado com um Ganso perdido num Intermaché, andam em tour pelo país e lançaram recentemente um vídeo novo - Lá Maluco. Tocam amanhã no Lisbon Psych Fest e basta acompanharem a sua página de Facebook para estarem a par de todas as novidades! Por aqui fica a entrevista escrita que foi possível durante esta semana, pois também eu senti as balas fundas na costela, que ficou mais deslumbrada do que ofendida. Fica o leitor no final para também vocês se deixarem levar!

Fotografia Michael Malina
Olá malta, desculpem não estar pessoalmente convosco, mas por aqui a vida anda de loucos e realmente também não podia continuar sem falar de vocês no BranMorrighan. E antes de irmos sequer à génese da banda eu tenho que perguntar... Quem é a pistoleira? 
Quem é a Pistoleira... A pistoleira é uma espécie de "femme fatale" involuntária. Por outras palavras, não tem propriamente consciência da própria condição! Não podemos entrar em detalhes de modo a não revelar a magia do seu misticismo. Mas em suma, podemos afirmar que a Pistoleira é uma jovem aspirante a guitarrista, que rejeita qualquer contacto com seres humanos. Uma sociopata inspiradora... Ahah

Foi esta a vossa carta de apresentação do projecto Ganso e entretanto saiu o EP Costela Ofendida. Querem-nos fazer uma tour pelo disco? A começar pelo instrumental Gansão, passando pela Lá Maluco que entre foder e matar parece ter muito que agarrar, entrando depois no universo de um trio feminino: a Idalina, a Pistoleira e a Telma (do tema Salamandra). Quem são estes personagens? 
No que diz respeito ao teor do disco... Mais importante, desde já, será referir que todos estes títulos se referem a personagens ou objectos personificados que consequentemente se transformam numa espécie de estatuto. Todas as 5 malhas com os nomes que lhes são inerentes têm não só uma história que lhes está agregada como desempenham um papel crucial no nosso quotidiano. Não vamos revelar qual o papel nem a história de modo a manter a intriga, no entanto, podemos revelar que tanto a Gansão como a Pistoleira enveredam mais por uma via maléfica da qual não prescindimos enquanto que a Idalina e a Salamandra são dois seres sem os quais também não vivemos. A/O Lá maluco, é o equilíbrio entre estas quatro. Tanto torce pelo mundo floreado como pelo mundo desequilibrado. Tanto é um ser inanimado como ganha vida se for animado.. O Lá Maluco são vocês, nós, as árvores e os moluscos do mundo.. E afins.

Onde é que vocês foram buscar as referências para escreverem estas músicas? 
As referências fomos buscá-las a Acolá. Temos muitas, mas não fomos buscar a nenhum sítio em concreto. Foi um MishMash entre aquilo que ouvimos, aquilo que somos e aquilo que quisemos fazer, sem grande postura de : "bora soar a isto". Resumindo e concluindo, fomos absorvidos pelo InterMarché, que por sinal teve uma importância gigante na escolha do nosso nome de banda :)

E o que é que apareceu primeiro? A composição sonora ou lírica? Foi fácil conjugar as duas? 
Sem dúvida que em primeiro lugar surgiu a composição sonora... Foi bastante fácil sim, felizmente!

Musicalmente, que aspectos da composição é que gostam mais de explorar, seja em termos de instrumentos ou só dos sons que tentam produzir? 
Gostamos de tudo, desde arranjar a panela certa até a massa estar pronta condimentada e extremamente satisfatória! É todo um processo que nos fascina e absorve!

Invertendo um pouco aqui a ordem comum das entrevistas, EP apresentado, digam-nos lá quem é que afinal são os Ganso e de que forma é que pretendem conquistar Portugal e o “infinito e mais além”?
Os Ganso são não só amigos de infância que partilham um gosto comum pela música, como partilham um extremo interesse pela pesca e pela caça ao Grilo. Adoram viajar, e adoram fazer barulho. Ora se A=B e A=C, B=C. Portanto, adoptando esta lógica, tencionamos chegar ao infinito e mais além como dizia o Buzz Lightyear, e palpar o maior número de terreno possível! Seja isso possível ou não, faremos por isso! 

Numa altura em que surgem inúmeros projectos novos, o que é que na vossa opinião Ganso tem para dar e mostrar que outros projectos não tenham? 
Não gostamos muito dessa premissa do: "O que que temos que os outros não têm?". Simplesmente focamo-nos de modo que exista Força de vontade, criatividade, ambição e um espírito desenfreado que não tem medo de arriscar! Independentemente de tudo o que foi dito, admiramos todos os projectos novos que emergem diariamente e apoiamos toda a malta que decida fazer música!

Já abriram para Os Mutantes e também passaram por Manchester. Imagino que tenham sido duas experiências muito diferentes. Falem-nos um pouco do que acabou por ser especial em cada uma delas. 
Foram de facto duas experiências Incríveis! Abrir para os Mutantes foi não só de certa forma um grande privilégio como uma grande honra pois são uma banda que sempre adorámos e que sempre ouvimos e continuamos a ouvir com um enorme prazer e admiração. Se nos dissessem que íamos abrir para os Doors ou os Beatles (As nossas predilectas da época) ficaríamos de queixo caído. O mesmo aconteceu com Mutantes... De certa forma ainda nem acreditamos! E para além de geniais, são pessoas com um carácter do outro mundo! 
Quanto a Manchester, também foi uma experiência gigante! Fomos para lá desamparados, sem público nenhum à excepção dos camaradas que vieram connosco de Lisboa, sem saber se eventualmente a língua portuguesa seria uma barreira ou não, e ao fim ao cabo, correu lindamente! Bem o suficiente para um "Olheiro" nos caçar e nos propor ir lá tocar outra vez agora em Junho, três datas, portanto tencionamos continuar a galgar fronteiras! 

Parte deste destaque deveu-se ao Tradiio, quão importante acham vocês que plataformas como esta existam no seio da música portuguesa? 
Muito Importante!! E devemos um enorme obrigado à Tradiio e à Nariz entupido por acreditarem em nós! São plataformas com um potencial gigante de crescimento, nas quais as pessoas devem apostar no âmbito de give and take. As plataformas não vivem sem nós da mesma maneira que nós não vivemos sem elas.. Seja que plataformas forem!

Dia 15 tocam no Lisbon Psych Fest junto de outros nomes internacionais bem importantes. Estão nervosos com a expectativa ou vão lá partir tudo de qualquer maneira? 
Zero nervosos! Vamos lá fazer o que sabemos fazer! Estamos ansiosos e cheios de vontade, e esperemos que corra bem como tem corrido felizmente! Ficamos muito contentes de poder partilhar o palco com todos os intervenientes do festival!

Datas pelo país é coisa que não vos falta. Durante 2016 vai ser só tocar ou o nascimento de um novo disco está também previsto? 
Tocar tocar tocar -- Disco disco disco -- Tocar tocar tocar! Lançamento está previsto para Setembro! A ver se o conseguimos cumprir!



0 comentários