[Diário de Bordo] Summer Solstice Conference Dia 1

Ok. Ignorem a minha cara de parva. Mas a verdade é que se cheguei meia deprimida ao hotel no dia anterior, em que nem internet tinha e n...


Ok. Ignorem a minha cara de parva. Mas a verdade é que se cheguei meia deprimida ao hotel no dia anterior, em que nem internet tinha e não conhecia ninguém, o dia de ontem revelou-se uma autêntica surpresa das boas. Logo ao pequeno-almoço encontrei dois colegas super bem dispostos e a partir daí foi sempre a subir. Claro que a risada começou quando demos conta que apesar de partilharmos a sala de pequeno-almoço fazíamos parte de hotéis diferentes, que por serem do mesmo grupo partilhavam aquele salão. Funny fact é que começámos a conversa ao pequeno-almoço por comentar o quão terrível era o meu colchão e a falta de internet no meu quarto e quão tranquilo era com eles no quarto deles, tanto em relação ao colchão quanto à internet. Quando nos dirigimos à saída e eu dei conta que o hall onde tinha ido parar não era o do meu hotel, a risada foi um bocado total.

Seguiram-se horas e horas e horas de talks nas mais variadas áreas de redes complexas. Honestamente começo a achar que existe um certo abuso no uso do termo redes complexas, mas quem sou eu. Ao final do dia tivemos a oportunidade de ir até à praia em Aveiro, tínhamos esperança que um restaurante de lá estivesse aberto, mas não estava. Em vez disso assistimos a um belo pôr-do-sol e ainda conhecemos um estrangeiro que está a fazer uma viagem pela costa portuguesa, cujo destino final é França, que tinha o ar mais pacífico que alguma vez vi. Gente boa, pois claro, pois gosta de ténis e o jogador que ele considera mais lutador é o Andy Murry, o meu preferido. Bate tudo certo :)

Por esta altura já éramos um grupo de oito e acabámos às 22h num restaurante bem simpático em que pude matar saudades de um belo polvo à lagareiro. Nada como chegar ao hotel depois da meia-noite e ter um belo episódio de Game of Thrones para ver. Claro que quando se tem que acordar às 7h30 no dia seguinte... Mas tudo bem. Estou a aproveitar um intervalo na conferência para escrever isto, por isso peço desculpa pelo texto trapalhão ou confuso. Vou-me despedir rapidamente deixando grande beijinho ao Fernando e ao Vítor que apresentam os seus trabalhos e foram os melhores até agora. Espero que convosco esteja tudo bem! Ah! Comigo trouxe os livros Cinzas de um Novo Mundo, do Rafael Loureiro, e A Miúda da Banda, da Kim Gordon. Impecáveis!

Mil beijos e até breve!


0 comentários