[Diário de Bordo] O meu mais recente vício no que toca a séries

Enquanto passeava por Londres com uns amigos, muito se falou de tudo e mais alguma coisa, mas inevitavelmente caíamos em assuntos de tra...


Enquanto passeava por Londres com uns amigos, muito se falou de tudo e mais alguma coisa, mas inevitavelmente caíamos em assuntos de trabalho. Até que começámos a falar de séries e um deles partilhava comigo um certo fascínio por tudo o que estivesse relacionado com super-heróis de banda desenhada (desde miúda que sou um bocado aficionada pela Marvel, não me perguntem porquê) e ele mencionou que havia aí uma nova série com o Daredevil. Eu sei, os meus gostos para séries não passam muito de Arrow, Flash, Vampire Diaries, The Originals, Game of Thrones, Vikings, DC Legends of Tomorrow, House of Cards, The Big Bang Theory e pouco mais. Ou seja, a maioria é tudo com plots dramáticos, românticos, de heróis e super fantasiados, mas são excelentes para tirar a cabeça de todos os assuntos tão sérios da vida. House of Cards e TBBT devem ser as únicas excepções, mas até esta última é do melhor, sendo assustador quando percebo a maioria das piadas geeks. Já agora, Vikings, que dá no canal História, está b r u t a l. Lagertha é capaz de ser uma das minhas personagens preferidas de sempre, havendo inclusive quem diga que em termos de personalidade temos muito em comum. Tururu, quem sabe?

Em relação a Daredevil, o primeiro episódio bastou para me conquistar. E se eu costumo ter rotinas bastante certas no que toca a horas de sono (sim, eu durmo, e tento dormir sete horas no mínimo), nas últimas duas noites arruinei essa rotina porque cada vez que acabava um episódio, tinha que ver o que acontecia a seguir. Ainda por cima também estou a ler dois livros muito bons, mas desta vez a série ganhou ao livro e na noite passada nem li. A forma como a evolução da história está montada (hoje termino a primeira season), ou seja, a forma como vão aparecendo e sendo desenvolvidos os protagonistas, o ritmo a que os acontecimentos se vão dando e a intensidade de emoções que vão sendo provocadas, criam um certo fascínio viciante. O protagonista tem a dose certa de outsider ao mesmo tempo que atrai e apela à compaixão e à empatia. O vilão está ridiciulamente bem enquadrado. É odioso, está rodeado de pessoas que não são muito melhores, e a intriga que todos eles formam parece quase grande demais para uma só pessoa, o Daredevil, conseguir sequer almejar erradicar. 

Vocês também costumam ver séries? Já viram esta? O que acham? Beijos!

0 comentários