[Diário de Bordo] A Noite dos Oito Anos Sonhadores, Electrizantes e Inacreditáveis

« A música não anda sozinha, sempre, desde sempre e para sempre a música vai precisar de quem a ...


«A música não anda sozinha, sempre, desde sempre e para sempre a música vai precisar de quem a leve pela mão, ao colo ou de qualquer outra forma, como nós precisamos da música para nos transportar para sítios onde nunca na vida iremos de carro.
Parabéns Sofia pelo que tens feito nestes 8 anos, e sobretudo parabéns pela vontade e empenho, pela forma como abraças as bandas como se fosse tu a própria banda, é notável, é o motor deste Blog e o transporte de muita gente.
Obrigado.» Rui Estêvão

Não podia começar este texto de outra maneira senão com este pequeno testemunho do Rui. O Rui é uma pessoa que admiro imenso, que respeito imenso e vai ser sempre alguém que vou guardar com muito carinho e consideração, pois é daquelas pessoas que não tem pejo em dizer o que acha que deve dizer, em que sinto que é sincero no que diz, em que sinto que realmente acredita naquilo que faz e porque o faz, e isso é cada vez mais raro. Obrigada, Rui. Andava a guardar este testemunho para a noite de concertos no Musicbox porque nunca me vou esquecer como ele foi o primeiro radialista a convidar-me, e aos meus músicos convidados, a ir ao seu (antigo) programa Purpurina, na Antena 3, e a reconhecer o trabalho que já então almejava fazer. Foi em Janeiro de 2015, logo após ter levado ao Musicbox Twisted Freak, Azul-Revolto e The Allstar Project. Sem dúvida, uma noite para lá de memorável. Talvez por ter sido a primeira. Mas, na verdade, não me posso queixar, o ano passado tive o doce Mahogany, o imparável O Manipulador e uma espécie de super banda que acompanhou os Thunder & Co(nvidados)! Lembram-se? Foi lindo! 


E, de repente, estamos em Janeiro de 2017 e eu volto a ter nova noite no Musicbox com bandas que há meses estavam convidadas. Daily Misconceptions, Mira, Un Lobo! (que foi o Rui Estêvão que me deu a conhecer precisamente ainda em 2015) e os meus mais que declarados adorados First Breath After Coma, com a participação especial do Noiserv, artista que admiro muito já lá vão dez anos. Noutros posts já falei sobre estas bandas, o quão especiais são para mim, por isso só quero mesmo agradecer o facto de terem feito do dia 6 de Janeiro de 2017 uma noite que também não vou esquecer. Eram 21h30 e o Musicbox já tinha, à vontade, perto de uma centena de pessoas. Nunca tinha visto o Musicbox tão cheio tão cedo. Para meu espanto, e jogando por baixo, passaram cerca de 300 pessoas pela caixa mais linda do Cais do Sodré naquela noite. Um record, confesso. 


Foi um dia que, entre altos e baixos, correu para lá de extraordinariamente bem. Comigo as coisas não tinham começado muito bem, logo de manhã, por questões profissionais, e depois quando me dirigi ao Musicbox deparei-me com uma série de condicionantes que fugiam ao controlo de todos (muito obrigada pelos esforços, pela coragem e pelo coração enorme!). Ainda assim fizeram-se os soundchecks possíveis, o nervoso miudinho instalou-se, mas tudo foi decorrendo com tempo. Acho que foi o primeiro ano em que me pude sentar para jantar, porque normalmente o ritual já era ir pegar apenas num kebab qualquer em cinco minutos e de repente tudo começava. Desta vez sentámo-nos todos à mesa, falámos, rimos, foi bonito, muito bonito. 



Pouco depois das 21h30 já Daily Misconceptions estava em palco e não imaginam o orgulho que senti no João e na Sara. São duas pessoas de um coração tão bom e são duas pessoas tão simples, que parecia inacreditável a magia que se fazia operar em cima de palco, quer em termos sonoros quer em termos visuais. Foi um início incrível! Seguiram-se os Mira, Un Lobo!, tocando pela primeira vez em solo português! Era visível que havia muita gente curiosa para os ver, muitos me foram dizendo que estavam super curiosos, e a verdade é que estou orgulhosa da minha aposta, estou grata ao Rui por me ter colocado em contacto com o Luís, e Mira, Un Lobo! tem tudo para vir a ser muito grande! O fecho da noite ficou ao encargo dos First Breath After Coma, com o Noiserv a fechar com eles com a Umbrae e a Blup! Podia desmanchar-me e babar-me em elogios com todos, sem excepção, mas só quero reforçar o quão grata estou. Acho que o alinhamento desta noite, as fases em que as bandas se encontram, a forma como as conheci, como isto tudo veio a acontecer (que se calhar é desconhecido da maior parte de vocês) reflecte perfeitamente tudo aquilo em que tenho acreditado e em que me tenho empenhado em mostrar. Claro que tenho de deixar um agradecimento especial ao Noiserv, que não esteve presente no Sarau da Pataca por antes dessa data surgir já se ter comprometido comigo. Tenho de lhe agradecer o facto de acreditar no meu projecto e tenho de deixar aqui registado que para além dos YCWCB, acho que ele ficava mesmo bem numa banda de post-rock. Eheheh! Perdoem-me os devaneios, mas já sabem que por aqui a coisa torna-se bastante sem papas na língua :)



Obrigada, mais uma vez, a todos. Ao Musicbox, a toda a equipa técnica/logística/comunicação, a Daily Misconceptions e à querida Zigur Artists, a Mira,Un Lobo!, aos First Breath After Coma (à equipa toda), ao Noiserv, à Omnichord por ter sido a primeira editora independente, o primeiro projecto, que me fez abrir os olhos para uma realidade de música portuguesa tão rica e fervilhante e por agora me acolher na sua família. Obrigada também a todos os blogues e sites que ajudaram a divulgar, aos jornalistas que estiveram presentes e ao Nelson, da SBSR.FM por ter achado a noite interessante o suficiente para me entrevistar sobre a mesma. Obrigada ao André Anónimo pelo interesse e pelas horas todas que passou connosco a fotografar! E, por último, mas não menos importante, obrigada a todos os meus amigos que fizeram questão de comemorar esta data comigo, obrigada aos conhecidos e aos fãs de cada um destes projectos, eles merecem todo o vosso apoio! O que tenho vivido com o blogue tem sido para lá de incrível e inacreditável. Nem tudo tem sido um mar de rosas, mas o facto de ter a oportunidade de me expressar, de levar para o plano físico aquilo em que acredito, de ter centenas de pessoas a apoiarem, de receber mensagens com tanto carinho e força... Não tem preço. E embora já tenha várias vezes pensado em encerrar este espaço (acreditem que há muita (má) gente por aí a agoirar), acho que o bom que tenho feito com ele, quero acreditar, vale a pena o esforço e algumas coisas das quais vou abdicando para fazer acontecer. 

Entretanto, o Música em DX já escreveu sobre a noite e já me deixou completamente derretida! - http://www.musicaemdx.pt/2017/01/12/8o-aniversario-branmorrighan-fecha-celebracoes-ano-novo/

Segue-se a festa no Porto, com gente igualmente incrível, já no próximo dia 3 de Fevereiro! Amanhã ou Segunda-feira conto-vos tudo sobre isso!


Todas as fotografias pelo André Anónimo

0 comentários