[Playlist da Quinzena] 16 a 31 de Janeiro de 2017 - As Escolhas de Joana Rita Sousa

Fotografia Tiago Figueiredo Cá estamos para mais uma playlist da quinzena, desta vez com a quer...

Fotografia Tiago Figueiredo
Cá estamos para mais uma playlist da quinzena, desta vez com a querida Joana Rita Sousa a comandar as escolhas musicais! Conheci a Joana através do projecto Gerador (do qual o blogue é parceiro!) e sempre admirei o seu espírito curioso e interventivo! E aqui fica uma pequena apresentação para quem ainda não a conhece (o que eu acho um bocado impossível, já que existem poucas pessoas tão dinâmicas e carismáticas como ela!) 
Joana Rita. Filósofa. Social Media Manager, Copywriter e Community Manager. Sou professora e formadora. Trabalho em filosofia para crianças desde 2008. Também sou jornalista, trabalhando muito em reportagens e entrevistas na área da música. Dizem que sou difícil de enquadrar, por fazer muitas coisas. E eu digo: mas acham que que alguma vez quero ser enQUADRADA? 
Beijos e até daqui a 15 dias! 



Costumo dizer que leio de tudo um pouco – o mesmo se aplica à música. No carro opto por ouvir algumas rádios, tenho duas ou três de eleição, confiando a escolha da música a quem está do outro lado do microfone. Em casa há sempre música a tocar: no rádio, na televisão (sou fã dos canais de música) ou no computador. Trabalho muitas horas em casa – sou community manager,  copywriter, social media manager e jornalista – e a música é essencial para poder criar. O mesmo acontece quando estou a estudar – frequento o segundo ano do segundo mestrado, em filosofia para crianças.

E explicar esta playlist? Bom, é uma viagem e pêras. Para mim está cheia de cheiros, sabores, imagens, memórias e emoções. E pensamentos – que isto do pensar e do sentir são coisas siamesas.

Tudo começa com A day in the life, da minha banda preferida de todos os tempos: The Beatles. Talvez seja a letra, a música. Talvez seja tudo. É uma das músicas da minha vida. Tem poesia, tem ironia, tem coisas da vida.

Fácil de entender. Já perdi a conta às vezes que vi esta banda, The Gift, ao vivo. Gosto da forma como se reinventam. Da forma como estão em palco. Das roupas da Sónia Tavares.

Joana, de Marco Paulo. Um clássico, para mim. Ouvia no gira-discos, no chão do quarto dos meus pais, quando era pequena.

Hora do semba: Matias Damásio é talvez um dos músicos que mais admiro neste momento. Gosto muito de sair para dançar e o semba é “a minha praia”. O semba é descontraído, permite o improviso, é alegre e faz-te sentir a música com o corpo todo. Beijo Rainha é das músicas que mais gosto, deste autor.

Já que estamos por África, ficamos com Angola, de Cesária Évora. Uma referencia para mim, que tanto gosto da música que vem daquele continente quente, onde a música é terra e tem os olhos postos no céu.

M.I.R.I.A.M. é um dos meus temas preferidos dos Orelha Negra. E  são muitos. Uma banda que acompanho com dedicação. O mesmo acontece com os PAUS, dos quais escolhi o tema Mancha Negra.

A playlist termina com um dos meus temas preferidos dos ABBA – notem: sei as músicas desta banda de cor(ação). Ouvia muito quando era pequena, influenciada pelos discos que os meus pais tinham cá em casa. Foi naquele gira-discos que ouvi Vitor Espadinha, Lionel Richie, Stevie Wonder, Demis Roussos, os Onda Choc, o Rui Veloso, os Gipsy Kings. Cá em casa ouve-se de tudo um pouco – já vos tinha dito?

Obrigada, Sofia, pelo espaço para partilhar um pouco de mim. Vemo-nos num qualquer festival de verão ou concerto. Foi sempre a música que nos permitiu os encontros “ao vivo”, não foi? 

0 comentários