[Diário de Bordo] Aquele Regresso à Vida Real

Estão a ver esta cara mais ou menos animada? Foi no dia da derradeira apresentação! Oh yeah, pilhas de nervos, sorrisos nervosos, &q...


Estão a ver esta cara mais ou menos animada? Foi no dia da derradeira apresentação! Oh yeah, pilhas de nervos, sorrisos nervosos, "vai tudo correr bem" constantes, essas coisas... Para quem não sabe do que estou a falar, existem dois outros Diários de Bordo prévios, aqui e aqui, onde se podem contextualizar. Resumindo: sim, correu tudo bem, não, não faleci (por pouco!) e a verdade é que o balanço deste Complenet2017 foi completamente positivo. A experiência foi rica em troca de conhecimento. É sempre fascinante como é que tantas áreas (física, matemática, história, economia, sociologia, psicologia, ciências da computação, etc. havia lá de tudo um pouco) usam a mesma base (redes complexas) para modelar problemas tão distintos. Foram quatro dias de conferências das 9h às 18h, com programas ao final da tarde/noite em dois deles, portanto imaginam como é que cheguei ao fim-de-semana... Feliz, mas extremamente cansada. 

Claro que em vez de descansar o que é que eu tinha planeado? Uma viagem de quatro horas de autocarro de Dubrovnik para Split (outra cidade com uma parte bastante antiga e com património da UNESCO). Cheguei a meio da tarde e tive a sorte de o hotel ser mesmo no centro histórico da cidade porque acabei por não preparar roteiro nenhum e quando saí à descoberta acabei por visitar, numas três horas, quase tudo o que havia de mais importante para ver. Lutei contra as minhas vertigens e subi à Bell Tower, sendo recompensada com vistas de tirar o fôlego (ou será porque subi tanto, mas tanto, com uma batida de cabeça pelo meio - quem me manda ser tão alta?). 


A recompensa foi o quarto de hotel ter um belo de um jacuzzi! OH YEAH! Depois de visitar tudo o que era possível, em termos de edifícios históricos, ainda fui dar uma caminhada por toda a costa possível junto ao mar, comprei jantar e lá regressei ao hotel. Chazinho de rooibos preparado, banheira enorme de jacuzzi à minha espera, por fim lá aconteceu o descanso da guerreira que tinha no dia seguinte umas oito horas de viagem, entre vôos e esperas de ligação. Claro que ficar num hotel no centro histórico tem um ou outro contra, como acordar às 7h da manhã (que para todos os efeitos seriam 6h se não tivesse adiantado a hora) com os sinos da igreja a tocarem fortemente, ia acontecer a primeira missa da manhã. Lá me virei para o lado e consegui descansar mais um pouco, mas com o checkout às 11h, acabei por me levantar, tomar o pequeno-almoço e arrumar tudo. Tinha cerca de três horas antes do primeiro transfer para o aeroporto de Split, e entre mais uma voltinha pela cidade e uma pausa para ler junto ao mar, acabei a descobrir um restaurante completamente adorável onde comi uma das refeições mais deliciosas de sempre. 



Taça de Buda, com quinoa, bróculos, couve flôr, tofu, caju, cebola roxa e tomate cherry caramelizados e abacate! Para sobremesa uma bela blueberry pie com uma bolinha de gelado. Juro-vos que foi uma refeição digna dos deuses. Aquela limonada de morango foi a única coisa que não prestava para nada. Outra característica deste restaurante é que estava dividido em duas partes, uma de bar e outra de sala de leitura. Ainda testemunhei o querido facto de quando havia crianças entre os clientes, eles serviam copos com lápis de cor e desenhos por colorir. Muito giro, mesmo! 

E pronto, lá apanhei o vôo para Roma, lá apanhei uma seca de três horas, o vôo ainda atrasou, já cheguei a casa tardíssimo. Ontem foi dia de tratar de roupas e tentar colocar ordem na casa, mas quando comecei a percorrer os mails em atraso a minha vontade foi de marcar outro avião para o fim do mundo! Eheheh :) Ainda não consegui responder nem a um terço deles (desculpem!), mas a verdade é que a nível científico as coisas continuam a um ritmo alucinante e tenho outra deadline para breve! Eu sei que o blogue vai sofrendo um pouco com isso, mas consola-me que no fundo isto seja um percurso natural das coisas e um bom sinal em relação ao meu doutoramento. Há que aproveitar as ondas de motivação, certo? 

Com isto quero dizer que vou mesmo fazer o meu melhor para vos continuar a trazer conteúdos originais, mas não fiquem chateados, nem abandonem aqui o corvo, caso tal não aconteça com muita regularidade. Ah! Para os mais curiosos, a minha apresentação pode ser consultada aqui. Deixo-vos com mais umas fotos do telemóvel e fiquem atentos que mais novidades hão-de surgir! 







































0 comentários