Em Abril, pela Quetzal: A Brecha, novo romance de João Pedro Porto

A Brecha João Pedro Porto Género: Literatura / Romance Formato: 15 x 23,5 cm N.º de páginas: 280  PVP: €16,60 ISBN: 978-98...


A Brecha
João Pedro Porto

Género: Literatura / Romance
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 280 
PVP: €16,60
ISBN: 978-989-722-357-0

Um santuário da Língua onde se aliam o contemporâneo e a memória.

O conteúdo de A Brecha é importante mas mais importante é o seu tom, a sua forma. João Pedro Porto faz uma notável exploração da linguagem, resultando numa obra que vive de poesia, prosa e dramaturgia. Um santuário da Língua onde se aliam o contemporâneo e a memória.

«A memória é assim feita através do critério dos homens de poder. Se os bárbaros estiverem no poder, serão esses que farão a História e, nessa História, as barbaridades não serão mais do que as mais contadas venturas dos heróis, repetidas às crianças nos leitos, pintadas nos frescos e nas abóbadas do sonho e do fantasmagórico. Ora, o que se entende por poder será mais de nuvens do que esta tão simples consideração.»

Sobre João Pedro Porto, Valter Hugo Mãe disse: «Um dos mais exuberantes novos autores portugueses. (…) No universo da ficção, estou convencido de que a literatura portuguesa não conseguia ninguém assim desde Vitorino Nemésio (…) Sabemos que lemos um moço de 30 anos mas reverberam séculos nas suas construções, admiravelmente eruditas na junção do que é literário e do que poderia ser recolhido nas praças mais maduras.»

LIVRO
Em noite de exagerado temporal, um misterioso homem encoberto brota do chão de Sagres. Desmemoriado e desnorteado segue pela costa vicentina. Um outro, aborrecido com a banalidade do seu tempo, decide entrar pela brecha que rompe pela parede do quarto, esperando recuperar coisas esquecidas, como a exploração, a descoberta e até mesmo a conquista. Haverá um vínculo crescentemente claro entre os heróis. Pela brecha viver-se-á uma epopeia, do lugar em que dois mares se suturam até à cidade que deu a ruína e um mito fadado a Portugal. Uma morte dada aos deuses, o cruzamento de mitologias, a viagem pela umbra humana, e muitas outras tramas intrincadas fazem deste livro um santuário da Língua, em que se aliam o contemporâneo e a memória. Nestas páginas, a sedução da narrativa épica e a pujança da poesia e do teatro pedem um leitor pronto à verdadeira aventura literária.

AUTOR 
João Pedro Porto nasceu nos Açores, em abril de 1984. A Brecha é o seu quarto romance, tendo publicado O Rochedo que Chorou, O 2egundo M1nuto e Porta Azul para Macau. Viu também editado, em formato livro, o conto O Homem da Mansarda, e fez parte da primeira antologia coordenada pelo Centro Mário Cláudio, O País Invisível. São também suas as letras do álbum Terra do Corpo, de Medeiros/Lucas. É presença recorrente em diversos jornais de pequena ou grande tiragem, bem como em revistas e suplementos literários. Sobre a sua escrita, Valter Hugo Mãe escreveu: «Reverberam séculos nas suas construções. Um invasor absoluto, um denunciador. João Pedro Porto é cénico, performativo, esdrúxulo, temperamental, mas sem arrogância. Apenas luxuoso, desse luxo de poder fazer.»

0 comentários