Em Maio, pela Elsinore: Outono, de Ali Smith

Outono Ali Smith EIS O MUITO AGUARDADO REGRESSO DE ALI SMITH AO ROMANCE «Ela percebe-lhe um terrível abatimento nos olhos. Ele ...


Outono
Ali Smith

EIS O MUITO AGUARDADO REGRESSO DE ALI SMITH AO ROMANCE

«Ela percebe-lhe um terrível abatimento nos olhos. Ele percebe que ela o percebe. Ele põe-se ainda mais severo. Abre uma gaveta, dela retira uma chapa laminada e coloca-a no balcão. Balcão Fechado. Isto não é ficção, diz o homem. Isto é a estação dos correios.»

LIVRO
Daniel tem a idade de um século. Elisabeth, nascida em 1984, está de olho no futuro. O Reino Unido e a Europa estão despedaçados, divididos por um verão histórico. Ganha-se amor, perde-se amor. A esperança caminha de mãos dadas com o desespero. As estações sucedem-se, como sempre, assim como as perguntas: Qual é o nosso valor? Quem somos? De que matéria somos feitos?
Eis o lugar em que vivemos. Eis o tempo na sua forma mais contemporânea e naquilo que tem de mais cíclico.
Eis uma história sobre o envelhecer e o tempo e o amor e as próprias histórias. Este é o primeiro livro do quarteto.
Da imaginação única de Ali Smith nasce uma tetralogia feita a partir da ideia de transição, abrangente na sua escala temporal e marcada por um caminhar leve através das suas narrativas.
Eis o Outono.

AUTORA
Ali Smith nasceu em Inverness, na Escócia, em 1962, e vive atualmente em Cambridge.
Autora de romances, contos, peças de teatro e crítica literária, recebeu alguns dos mais importantes prémios literários do Reino Unido, como o Baileys Women's Prize for Fiction, o Goldsmiths Prize, o Costa Book Award e o Scottish Arts Council Award. Foi também várias vezes finalista do Man Booker Award.
Entre as suas obras mais conhecidas estão The Accidental, Amor Livre e Outras Histórias (ed. Quetzal, 2011) ou How to Be Both (ed. Elsinore, publicação prevista para 2017).

0 comentários