Em Novembro, pela Companhia das Letras: Verdade Tropical, de Caetano Veloso, é reeditado em Portugal com texto inédito do autor

Verdade Tropical Caetano Veloso Companhia das Letras ISBN 978-989-665-362-0 608 páginas PVP c/IVA 21,90€ 20 anos após a ...


Verdade Tropical
Caetano Veloso

Companhia das Letras
ISBN 978-989-665-362-0
608 páginas
PVP c/IVA 21,90€

20 anos após a publicação do original. - A nova edição inclui um novo texto do músico e autor.

LIVRO
Verdade tropical é uma obra incontornável para quem procura conhecer Caetano Veloso. Idealizador do projecto Tropicália, Caetano nasceu como músico e compositor “mais ou menos involuntariamente”, no seio de toda uma geração de artistas em efervescência contra os anos de chumbo impostos pela ditadura militar. As memórias de Caetano partem da infância em Santo Amaro, na Baía – onde leu Clarice Lispector, ouviu João Gilberto e se apaixonou pela primeira vez -, atravessam a adolescência, a prisão em 1968, o exílio em Londres, compondo no seu conjunto um extraordinário panorama do Brasil e um fascinante retrato do artista. Publicado pela primeira vez em 1997, quando Caetano cumpria 55 anos, o livro foi agora revisitado por ele, no ano em que cumpre 75. 
No balanço, Caetano debruça-se sobre o seu percurso pessoal, musical e literário e faz um acerto de contas com a sua vida e a do seu país.
Com absoluta franqueza, aguda provocação e um estilo muito próprio de empregar a língua portuguesa, Caetano dá mais uma prova da sua capacidade única e incomparável de nos emocionar com a palavra, expondo a sua “própria verdade”.

AUTOR
Caetano Emanuel Vianna Telles Velloso nasceu no dia 7 de Agosto de 1942, em Santo Amaro da Purificação, no estado brasileiro da Bahia. Lançou o seu LP de estreia, Domingo, com Gal Costa, em 1967, a que se seguiram trinta discos gravados em estúdio, dezassete álbuns ao vivo e diversas colectâneas. Em 1986, realizou o filme O cinema falado. Pioneiro do movimento tropicalista, que ganhou forma na década de 1960, Caetano fundou, na década seguinte – ao lado de Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa –, o grupo Doces Bárbaros. A sua obra artística ganhou ressonância em diversas áreas culturais brasileiras e mantém-se como uma das mais activas e revolucionárias do país. Originalmente publicado no Brasil pela Companhia das Letras em 1997, Verdade tropical conhece agora, vinte anos depois, uma nova edição, revista pelo autor.

0 comentários