Opinião: Saga - Volume I - Brian K. Vaughan & Fiona Staples (GFloy)

Saga - Volume I  Brian K. Vaughan & Fiona Staples Editora: G Floy Sinopse: SAGA é a história de dois jovens soldados de la...


Saga - Volume I 
Brian K. Vaughan & Fiona Staples

Editora: G Floy

Sinopse: SAGA é a história de dois jovens soldados de lados opostos de um vasto conflito intergaláctico sem fim, que se apaixonam e arriscam tudo para protegerem a vida que criaram e que terá de crescer num universo hostil e perigoso. Alana e Marko querem apenas poder viver a sua vida em paz com a sua jovem filha Hazel — considerada uma abominação por todas as potências envolvidas na guerra — e, entre serem perseguidos por um príncipe robot com cabeça de TV, assassinos profissionais dos mais diversos planetas e serem assombrados pelos fantasmas de vítimas de batalhas passadas, a sua história irá mudar a galáxia.


OPINIÃO: No final do ano passado, 2017, estabeleci uma nova colaboração literária com a G. Floy Portugal. Apesar de ser uma aficionada por alguns protagonistas de bandas desenhadas, não costumo ler muitas. Não é algo que faça de propósito ou de forma consciente, mas mais porque tirando as BDs mais conhecidas, conheço pouco esse universo. Começo a aperceber-me que tenho andado a perder toda uma dimensão cheia de valor artístico e que pode surpreender a vários níveis. Essa percepção tem semente em Saga, uma banda desenhada com argumento de Brian K. Vaughan e arte gráfica de Fiona Staples. Que dupla! Que história! Mal comecei a ler senti que estava perante um novo tipo de aventura, que os romances tradicionais não podem proporcionar. Alana e Marko chegaram para ficar e desconfio que vou devorar os sete volumes até agora publicados muito rapidamente. 

A sinopse de Saga já diz o suficiente sobre a história de Alana e Marko. O que não consegue transmitir é a bestialidade do universo criado. Em primeiro lugar, a primeira página é das melhores páginas de sempre. (perdoem-me a falta de qualidade das fotografias)


Como não fazia ideia em que consistia a história, claro que ao virar a página vi que Alana apenas estava a ter a Hazel. (ups, desculpem o spoiler). Mas há outro pormenores muito interessantes e que fazem com que realmente esta BD nos conquiste. Sendo uma obra de fantasia/ficção científica, existiu uma liberdade para explorar seres com diversas características físicas que ao mesmo tempo espelhavam a sua personalidade. A linguagem é ousada e provocadora e se o argumento é apelativo, as ilustrações de Fiona Staples são qualquer coisa de outro mundo. São brutalmente belas. Conseguem ser agressivas, sensuais, emotivas ou despidas de emoções quando assim se requer, mas sempre cheias de vida. Adoro a babysitter (ou pelo menos o que resta dela), adorei o gato que diz sempre quando alguém está a mentir, gostei quanto baste do freelancer cujo compasso moral é tão louvável quanto desconcertante e, claro, Alana e Marko conquistam-nos desde o início. Na luta pela segurança de Hazel, muitas são as batalhas que terão de travar e muitos imprevistos irão surgir. Aquele fim prometeu.

Quer sejam amantes de bandas desenhada ou não, acho que Saga merece que lhe seja dada uma oportunidade. A edição da G. Floy está super bem trabalhada, com capa dura, páginas de qualidade, e tudo isto em conjunto merece ser apreciado. Cinco estrelas, para este volume de estreia, e que 2018 seja o ano em que vou tirar a barriga de misérias no que a BDs diz respeito!

0 comentários