[DESTAQUE] Já podemos ouvir "Deus Me Dê Grana", o primeiro single de Odeon Hotel, dos Dead Combo

Se há banda nacional que tem mantido uma personalidade par e que se tem reinventado ao longo dos anos, nunca perdendo a essência única e...


Se há banda nacional que tem mantido uma personalidade par e que se tem reinventado ao longo dos anos, nunca perdendo a essência única e visceral, são os Dead Combo. Há novo disco prestes a ser lançado, no dia 13 de Abril, e hoje ficou disponível o primeiro single - "Deus Me Dê Grana". Se com versão de estúdio já se sente uma força enorme, ao vivo só se pode esperar algo ainda mais arrebatador. Existe sempre uma narrativa muito pessoal nas canções de Dead Combo. Através dos seus arranjos instrumentais e das sempre omnipotentes guitarras de Tó Trips e Pedro Gonçalves, o duo consegue sempre tocar em e provocar emoções muito específicas. Entre jogos de provocação, incitação, lamentação ou exacerbação, indiferença é algo que jamais se sentirá ao ouvir Dead Combo. Estou muito curiosa com o disco que está para vir, Odeon Hotel! Fiquem com o tema e com as informações oficiais. 



“Deus Me Dê Grana” é o single de avanço do novo longa-duração dos Dead Combo – “Odeon Hotel” – disco que, no dia 13 de Abril, será editado pela Sony Music em todo o mundo. O emblemático duo formado por Tó Trips e Pedro Gonçalves faz questão de continuar a consolidar o seu universo singular e levar cada vez mais longe uma música que, alicerçada na mais profunda alma lusitana, não conhece limites de tempo nem de espaço. Para isso, rodeia-se, desta vez, de um excepcional naipe de convidados que, sendo sempre fiel à personalidade vincada e única do projecto, participa activamente na sua constante procura de progressão.

Em “Deus Me Dê Grana”, a bateria de Alexandre Frazão, a percussão de Mick Trovoada, a viola de Bruno Silva e os saxofones de João Cabrita juntam-se às guitarras de Pedro Gonçalves e Tó Trips, sob a direção de estúdio de Alain Johannes, reputado músico e produtor que já colaborou com nomes como os Queens of the Stone Age, PJ Harvey ou Chris Cornell.

O resultado é uma intensa e musculada excursão instrumental, de uma imensa riqueza rítmica e tímbrica, que expande o imaginário profundamente original que distingue a música do duo lisboeta para níveis de excelência, só ao alcance dos eleitos.

O novo disco dos DEAD COMBO será apresentado em Portugal, numa Tour com início previsto para Abril e que se estenderá até 2019. Ao vivo, a banda apresentar-se-á com uma formação inédita com músicos convidados:
Tó Trips – Guitarras
Pedro Gonçalves – Guitarras, Contrabaixo, Melódica, Pianinho

Alexandre Frazão – Bateria, Voz
Gui – Sopros, Mellotron, Voz
António Quintino – Contrabaixo, Guitarras, Mellotron

DEAD COMBO
(Notas Biográficas)
A história dos Dead Combo, a dupla formada por Tó Trips e Pedro Gonçalves, começou em 2003 na sequência de um convite do radialista Henrique Amaro (Antena 3) para compor e gravar a canção “Paredes Ambience”, incluída no disco de homenagem a Carlos Paredes “Movimentos Perpétuos – Música para Carlos Paredes”. Os álbuns da banda editados até ao momento têm sido largamente elogiados em Portugal e no estrangeiro, recebendo vários prémios para “Álbum do Ano”. Lusitânia Playboys (2008), o terceiro disco de estúdio, foi eleito “Álbum da Década” pelo jornal Expresso. A dupla participou no episódio sobre Lisboa do programa “No Reservations” de Anthony Bourdain, o que lhes valeu a entrada no top 10 dos discos de world music mais vendidos no iTunes norte-americano. Em Dezembro de 2014, coroando um ano com mais de 40 concertos realizados, esgotaram com espectáculos mágicos o Coliseu dos Recreios em Lisboa e o Teatro Rivoli no Porto. Também no final de 2014, ficou a saber-se que “A Bunch of Meninos” foi considerado pelos leitores do Blitz como o melhor álbum português de 2014. O ano de 2015 começou com a chegada da música dos DEAD COMBO a Hollywood, através da inclusão de 2 músicas suas no filme “FOCUS”, realizado pela dupla Glenn Ficarra e John Requa e protagonizado pela super-estrela norte-americana Will Smith. O Globo de Ouro de 2015 para melhor banda, confirmou o reconhecimento nacional do trabalho de Tó Trips e Pedro Gonçalves. Em 2016, a banda reinventa-se com a ajuda das “CORDAS DA MÁ FAMA” e apresenta-se de forma mais acústica e por vezes surpreendente, de norte a sul de Portugal, culminando com o lançamento de um novo disco, o oitavo da sua carreira. Em 2017, os DEAD COMBO continuam a trajectória extraordinária que têm vindo a desenhar, com a consolidação da sua carreira internacional e a sua afirmação como uma das mais interessantes e importantes bandas do novo panorama musical português.


DATAS
ABRIL
12 Abril - Coimbra (Convento São Francisco)
13 Abril - Oeiras - Festival Soam Guitarras (Auditório Eunice Muñoz)
14 Abril - Évora - Festival Soam Guitarras (Teatro Garcia de Resende)
21 Abril - TBA
28 Abril - Caldas da Rainha (Centro Cultural e de Congressos)

MAIO
12 Maio - Portalegre (Centro de Artes do Espectáculo)
17 Maio - Loulé (Teatro Louletano)
18 Maio - Silves (Teatro Mascarenhas Gregório)
26 Maio - Seixal (Auditório Municipal)
30 Maio - Vila Real de S. António (Video Lucem)

AGOSTO
Vodafone Paredes de Coura

JUNHO
8 Junho - Anadia
16 Junho - Setúbal (Fórum Municipal Luísa Todi)
21 Junho - Leiria - Festival A Porta (Teatro José Lúcio da Silva)

OUTUBRO
24 Outubro - Porto (Casa da Música)

NOVEMBRO
9 Novembro - Vila Real (Teatro Municipal)
17 Novembro - Santa Maria da Feira (Cine-teatro António Lamoso)

0 comentários