Opinião: A Dieta Purificadora - O Método do Dr. Frank Laporte-Adamski

A Dieta Purificadora - O Método do Dr. Frank Laporte-Adamski Editora: Arena Sinopse:  O princípio base da Dieta Purificadora é mu...


A Dieta Purificadora - O Método do Dr. Frank Laporte-Adamski

Editora: Arena

Sinopse: O princípio base da Dieta Purificadora é muito simples: quem come bem terá uma boa digestão. E uma boa digestão é o segredo para uma vida melhor.
Tudo o que comemos deixa resíduos nas paredes do tubo digestivo, o que acaba por o irritar, no pior dos casos, por o entupir. Portanto, o corpo sente-se pesado, menos activo e mais exposto a distúrbios como dores de costas, enxaqueca, insónia e problemas circulatórios.
Durante mais de trinta anos, o naturopata e osteopata Frank Laporte-Adamski promoveu um método destinado a tratar melhor o «segundo  cérebro» que temos na barriga e do qual dependem não apenas a digestão, mas também 70% das funções de nossa sistema imunológico.


OPINIÃO: Nunca se debateu tanto a alimentação como nos dias de hoje. Num dia há coisas que nos fazem bem, noutro que nos fazem mal e por aí em diante. Cada vez há mais livros a falar sobre dietas e alimentações saudáveis e eu lá vou piscando o olho a um ou outro que vejo que têm uma abordagem mais consistente. A Dieta Purificadora é um livro que pelo título não me ganhava enquanto leitora. Com a moda das dietas e dos detoxes, conjugar as duas palavras provoca aquele primeiro pensamento "olha mais um destes livros". O que me chamou a atenção e me convenceu a lê-lo foi o subtítulo "Purificar o Intestino sem Sacrifícios".

Eu sei, existem milhares de tabus no que toca a falar-se de intestinos, prisão de ventre, flatulência, etc., mas não é preciso sofrer de todos estes males para se ter consciência que o intestino tem um papel fundamental no nosso bem-estar. Basta ficar-se um pouco mais inchado ou desregulado (seja o regular o que for para cada um), para o mal-estar se alastrar pelo corpo e logo ficarmos desconfortáveis na nossa pele. O intestino é aquele a que chamam o nosso "segundo cérebro" e são várias as implicações no restante organismo consoante o tratamos melhor ou pior. Foi nesta perspectiva até mais científica que peguei neste livro. No entanto, não é preciso ser-se cientista para o ler, pois a linguagem é a do dia-a-dia e o Dr. Frank Laporte-Adamski explica as coisas muito bem e de forma clara.

Estamos perante um livro que nos introduz ao universo do "tubo digestivo" e nos explica todos os conceitos necessários para entender o estudo que fez e ao qual ficou apelidado de "O Método Fran Laporte-Adamski". Basicamente, resumindo, este método baseia-se na observação dos tempos de absorção dos vários tipos de alimentos pelo nosso tudo digestivo. Foram observados três grupos: os alimentos de absorção lenta, os "neutros" e os alimentos de absorção rápida. Quando se mistura alimentos do grupo lento e do rápido na mesma refeição, o autor observa que pode levar a irritação do intestino e a subsequentes passagens de toxinas para o corpo. A ideia principal d'O Método do Dr. Frank Laport-Adamski é então não misturar estes grupos alimentares (sendo que os do grupo neutro podem ser misturados tanto com o lento como com o rápido) e esperar intervalos concretos entre refeições de alimentos rápidos e alimentos lentos. Claro que resumir assim o livro é redutor e sou da opinião que este vale a pena ser lido e analisado. O autor incluiu ainda testemunhos de pacientes que testemunham que a sua qualidade de vida aumentou consideravelmente depois de iniciarem este método.

Para nós, portugueses, dado o nosso estilo alimentar, a adaptação a este método pode não ser imediato e várias resistências podem surgir naturalmente. Afinal quem é que, por exemplo, não gosta de massa com molho de tomate? É que a massa é do grupo lento, mas o tomate é do grupo rápido... Importa aqui estabelecer que a prioridade é a saúde e para quem possa sofrer de problemas nos intestinos ou até sofrer de outros problemas sobre os quais não encontra a causa, este é um livro que pode ser consultado como referência e como alternativa para se tentar melhor a nossa qualidade de vida. Neste sentido, recomendo. 

0 comentários