[Diário de Bordo] De Helsínquia à Old Town de Tallinn

Fotografia Jorge Oliveira Sexta-feira foi dia de folga da conferência e eu e o Jorge decidimos ir até à Estónia marcar mais um pin no n...

Fotografia Jorge Oliveira
Sexta-feira foi dia de folga da conferência e eu e o Jorge decidimos ir até à Estónia marcar mais um pin no nosso mapa. Fizemos um dos vários trajectos disponíveis para Tallinn no enorme barco que poderão ver nas fotografias. Lá dentro havia supermercado, imensos bares, palcos com música ao vivo, esplanada panorâmica, lojas de roupa e acessórios... Um autêntico mundo! 

Chegados a Tallinn, se houve coisa que me surpreendeu é que é extremamente fácil, e até económico, ser-se vegetariano ou até Vegan. Existem várias opções e o restaurante a que fomos, o primeiro que aparece na sequência de fotos, tinha pratos completamente deliciosos e mais baratos que uma cerveja em Helsínquia... Adoro Helsínquia, a sério que sim, não fosse a questão do Inverno e das horas sem verdadeira luz solar até ponderava ir lá passar uns meses. Porém os preços, com bolsa de doutoramento portuguesa, são bastante impraticáveis. Claro que eles lá ganham quase o triplo de nós, por isso, fazendo as contas, se calhar até nem é assim tão caro. 

Voltando a Tallinn, visitámos principalmente a cidade antiga, com os seus edifícios em pedra e casinhas tão diversas em termos de cores e formas. Depois de ter estado na cidade antiga de Dubrovnik, Tallinn pareceu-me um pouco menos deslumbrante, mas acho que vale completamente a pena ser explorada, principalmente por alguns dos estabelecimentos que tem por lá. Para além do restaurante vegetariano maravilhoso onde almoçámos, tem uma casa de vinis usados super querida (embora o dono seja um pouquinho estranho), tem também uma casa com crepes, tanto doces como salgados, que são baratos e muito, muito bons, e ainda tem o Olde Hansa, uma espécie de casa/cervejaria em que parece que entramos noutra dimensão onde duendes, princesas e fadas do lar parecem uma realidade. Provei lá uma cerveja preta com mel, pensava que ia ser uma espécie de hidromel, mas honestamente não achei assim tão saborosa. 

Pelas fotografias poderão ver um pouco da arquitectura tanto dentro como nos arredores da cidade antiga. As viagens duraram cerca de duas horas e meia cada uma, o que serviu para colocar as leituras em dia já que consegui ler um livro, Tenho de Saber (editado pela Planeta), no conjunto das duas viagens. Enquanto uns liam outros compravam paletes e paletes de álcool! É verdade, estes "cruzeiros" são conhecidos como os booze cruises entre Helsínquia e Tallin. Na Finlândia existem regras restritas em relação ao álcool, incluindo horas a partir das quais não é permitido comprar álcool nos supermercados, para além do preço das bebidas alcoólicas ser bastante elevado. Como em Tallin, e nestes cruzeiros, as bebidas são mais baratas, não foi raro ver carrinhos de compras só com paletes das mais variadas bebidas...

Brevemente escreverei outro Diário de Bordo a resumir o final de tarde de Quinta-feira e a manhã de Sábado, ambos passados em Helsínquia. Fica este pequeno testemunho completamente dedicado então a Tallinn. 



























Fotografias do Jorge Oliveira, a não ser quando ele aparece. Essas fui eu :b


E agora as fotos de telemóvel!








0 comentários