Descobrindo Alex McArtor com Where Did My Love Go e Touch

E o que dizer quando ouvimos um tema que nos faz mexer o corpo, com ritmos lânguidos e uma voz sedutora e poderosa, e depois damos conta...


E o que dizer quando ouvimos um tema que nos faz mexer o corpo, com ritmos lânguidos e uma voz sedutora e poderosa, e depois damos conta que este é interpretado por uma jovem de apenas 16 anos? Foi este o meu choque quando ouvi os temas "Where Did My Love Go" e "Touch", de Alex McArtor. O primeiro tema levou-me por uma viagem em que praticamente senti o vento no rosto, ao mesmo tempo que me imaginava a dançar numa qualquer paisagem mediterrânea. Já "Touch", com a sua guitarra e bateria poderosa levaram-me para atmosferas mais introspectivas e redentoras. E se continuarmos a ouvir o seu primeiro disco "Spoken Word", a verdade é que nos sentimos embalados por uma atmosfera que tem o seu quê de emocional, mas principalmente de entrega e também luxúria. Estou realmente muito admirada com esta produção, com as belíssimas composições instrumentais (o solo de guitarra em Burning Fleet Love é cru e delicioso). Alex McArtor, decorem o seu nome! Parece-me que ainda vamos ouvir falar muito nela!

Alex McArtor is a sixteen-year-old singer/songwriter who grew up in Austin, Texas and recently moved to Dallas with her family. Alex goes to a boarding school in New Hampshire, where she continues to develop herself as an artist and enjoys the great outdoors. She loves to write poetry and music, is into the works of film/photography, and has a passion for traveling; spending the last two summers in Thailand/Laos and Morocco.

Over the last year, Alex wrote and recorded her first album, “Spoken Word”, with Aaron Kelley at AK Songworks in Dallas, Texas. Aaron Kelley has worked with a number of Billboard charting artists from Don Henley to The D.O.C., and Jordan Sparks to Shawn Mullins.

Alex says, “I love expressing myself through writing music. I believe it’s the most beautiful, raw thing we can do on this Earth. To express through art and have something to say.”

0 comentários