[Diário de Bordo] Mudei-me para os Estados Unidos da América!

Bom dia! Sim, aqui ainda é bom dia, pois são 8h, enquanto por aí vocês já devem estar a almoçar! Não tive tempo de ir actualizando o b...


Bom dia! Sim, aqui ainda é bom dia, pois são 8h, enquanto por aí vocês já devem estar a almoçar! Não tive tempo de ir actualizando o blogue como gostava de o ter feito, por isso agora conto-vos já do outro lado do oceano. Mudei-me para os Estados Unidos por uns tempos, mais precisamente para Bloomington, no estado de Indiana, para fazer um pós doutoramento na Indiana University, mais propriamente na School of Informatics, Computing, and Engineering, em Complex Systems, no Center for Social and BioMedical Complexity!

Esta oportunidade surgiu através do meu doutoramento e não poderia estar mais orgulhosa e contente pelo esforço e trabalho desenvolvidos nos últimos anos ser reconhecido desta forma. Existem imensos desafios, claro. Nunca é tudo um mar de rosas. Por exemplo, no dia da viagem partilhei o seguinte no meu Facebook pessoal:

Quem está habituado a viajar, está habituado a dizer adeus, ou até já, muitas vezes. E para quem viaja, ou pelo menos para mim, o pensamento costuma ser "ok, mais uma voltinha, mais uma moedinha". Mas a verdade é que quando a partida faz parte de uma nova etapa, em que o país de residência (mesmo que temporariamente) passa a ser outro, principalmente quando é do outro lado do oceano, as coisas mudam de figura. O coração das nossas famílias aperta (mesmo que a visita de volta não esteja assim tão longe) e o nosso aperta-se não só por eles como também por nós. Mudar pode ser mais ou menos fácil consoante a personalidade de cada um. Mas há pormenores que escapam à primeira vista: fusos horários diferentes que têm impacto na comunicação, acessibilidade de contacto diferente, ao início há todo um processo de perceber como é que o impulso de pegar no telefone e fazer uma chamada não nos deixa na banca rota, rotinas entranhadas que ganham uma nova importância que antes não tinham, novos valores que se erguem porque os primeiros tempos são sempre em modo sobrevivência...
Sou uma sortuda, tenho consciência disso. Tenho a melhor família e os melhores amigos, uma rede de apoio à distância de uma mensagem, mas quis na mesma partilhar isto convosco. É uma experiência daquelas.
Até já Indiana University, Bloomington ♥️
Achei importante partilhar esta mensagem porque muitas vezes existe a tendência para pensar que é tudo muito giro e muito divertido, quando na verdade existem muitos pequenos pormenores que tornam estas aventuras em momentos de crescimento e de superação. 

E pronto, para já é esta novidade que tenho para partilhar convosco e também que vou tentar reactivar o blogue, quanto mais não seja com as peripécias que vou vivendo por cá :) 
As parcerias para passatempos vão-se manter e, claro, vou continuar a escrever sobre as minhas leituras. Sei que tenho pelo menos uns dez livros em atraso que fui lendo ao longo do Verão! Espero que se encontrem bem e, lembrem-se, lutem sempre por aquilo que querem, pelo que é melhor para vocês e quebrem as correntes do medo. Ao início pode ser assustador, mas se nunca tentarem, nunca saberão. Beijo e até já! Deixo-vos com algumas fotografias que tirei ontem ao final da tarde.







0 comentários