[Diário de Bordo] 11 Anos Blog BranMorrighan

Fotografia tirada por mim em Cascais. Parabéns a nós! Com alguns dias de atraso, mas parabéns a este belo projecto, já com 11 anos, que...

Fotografia tirada por mim em Cascais.
Parabéns a nós! Com alguns dias de atraso, mas parabéns a este belo projecto, já com 11 anos, que me acompanha há mais de um terço da minha vida! É a primeira vez, desde que comecei a organizar aniversários, há tantos anos atrás, que deixo passar o dia 13 de Dezembro sem escrever nada sobre esta data tão especial. Ainda por cima coincidiu novamente ser uma Sexta-feira 13, tal como tinha sido há 11 anos atrás. Houve várias razões para isso, nenhuma delas má. A primeira foi que tive uma consulta médica logo de manhãzinha. A segunda foi que tinha amigos cá e durante o dia fui mostrar Lisboa a um deles e depois juntámo-nos todos para jantar. A terceira foi que quando cheguei a casa, não assim tão tarde, estava tão cansada de ter acumulado uma semana inteira de stress (fiz parte da organização da conferência internacional Complex Networks and Their Applications que contou com cerca de 500 participantes) que decidi abraçar o Bran e cair para o lado num sono que me soube tão bem.

Confesso que sinto um certo vazio por não ter comemorado a data nem ter organizado as habituais festas e iniciativas de aniversário. A verdade é que mesmo o tempo que vou passar agora na Europa é em conferências e seminários e depois estou de volta aos EUA. Com a mudança para Bloomington e com tanta coisa para tratar, houve uma parte anímica que se foi muito abaixo. Não fosse o João Morales e as suas crónicas e o blogue estaria ainda mais parado. Portanto, antes de mais, muito obrigada João, por contribuíres para este cantinho tão especial para mim. 

Acho que a mudança para os EUA me obrigou a um certo afastamento emocional. E por causa desse afastamento emocional, olhar para o passado e para tudo o que já vivi com o blogue parece já uma realidade distantes. Os concertos organizados, as tours com as bandas da Omninchord, o escrever para o Música em DX, para a SapoMAG, o organizar colectâneas literárias e MixTapes musicais... Este blogue já me deu TANTO e tantas pessoas INCRÍVEIS que confesso sentir-me um pouco triste com este distanciamento mais recente. Porém, a vida é feita de ciclos. Não sei bem onde a vida me vai levar, mas uma coisa eu sei. 

Sinto-me muito, muito GRATA, pelo percurso dos últimos 11 anos. Até orgulhosa. Imaginem-se nos 30 e a olharem 11 anos para trás. Não vos parece uma viagem quase inacreditável? Da licenciatura ao mestrado, do mestrado ao doutoramento, do doutoramento a professora convidada, de professora convidada a postdoc nos Estados Unidos e a organizar as mesmas conferências a que fui com tanto fascínio durante o meu doutoramento... No meio disto tudo as entrevistas aos escritores, aos músicos, a artistas plásticos e tantos outros. As viagens, as conversas, as fotografias, os abraços, a cumplicidade, os sorrisos e as lágrimas. Que também as houve. Ganhei imensas pessoas, mas também perdi outras. Para sempre. 

Ainda assim, sinto de coração cheio que sou muito sortuda. Mesmo com tantos contratempos e dissabores, tenho conhecido as pessoas mais incríveis. Para não falar, obviamente (uma pessoa tem isto tão entranhado que dá como certo, mesmo quando não deve), no apoio brutal da minha família e dos meus amigos mais próximos. E quando tudo aperta são realmente as pessoas que estão lá para nos abraçarem, nos fazerem sorrir, nos lembrarem que a luta vale a pena. Que viver é maravilhoso e que juntos e em sintonia somos todos tão melhores.

A primeira fotografia desta entrada foi tirada em Cascais, no dia 13 de Dezembro, no dia do aniversário do blogue. Só dei conta que era dia 13 já estava com o Tomek em Lisboa, a mostrar-lhe alguns dos sítios do centro que considero mais icónicos.  Fiquei desde logo alegre e triste ao mesmo tempo. Felizmente, acabámos por passar boa parte do dia fora da confusão turística e celebrámos os 11 anos com um almoço delicioso perto do mar. Penso que a fotografia, nas suas cores e nos seus elementos transmite muito bem as minhas emoções. Achei o cenário belo e violento, indomável e admirável. E o surfista ali, a ponderar, imagino eu, se entrava ou não, como o fazer, quando o fazer. A natureza tem uma força que jamais o homem poderá controlar e se não cuidarmos bem dela seremos engolidos por ela. Obrigada, Tomek, pelo belo dia que passámos. Estava a precisar da descontração e paz que acabei por encontrar. Obrigada a todos os nossos outros amigos que fizeram com que o dia acabasse em beleza também. 

Vou deixar-me de deambulações. Sei que o texto está um pouco fragmentado e sem grande coerência, mas para mim é importante registar que este dia existiu e que não foi esquecido. Outra coisa que me estava a lembrar foi que nunca vos contei como foi o regresso a Portugal, mas brevemente talvez o faça. Deixo-vos com a fotografia do meu maior admirador e com algumas fotografias de Bloomington do último mês e meio que lá passei. Houve temperaturas negativas, neve, NBA, e um compromisso de arrendamento até 2021! Em compensação, o meu apartamento em Portugal não vai ver o seu contrato de arrendamento renovado. É como vos digo. Ciclos! E lidamos com eles. Até breve e muito obrigada, do fundo do CORAÇÃO, por continuarem desse lado! 

O meu lindão #ocaobran
Outubro e Novembro em Bloomington








0 comentários