Opinião: Fogo (Trilogia Sem Fôlego #3) de Maya Banks

Fogo (Trilogia Sem Fôlego #3) Maya Banks Editora : Bertrand Sinopse : Gabe, Jace e Ash: três dos homens mais ricos e mais pode...

Fogo (Trilogia Sem Fôlego #3)
Maya Banks

Editora: Bertrand

Sinopse: Gabe, Jace e Ash: três dos homens mais ricos e mais poderosos do país. Estão habituados a conseguir tudo aquilo que querem. Tudo mesmo. Para Ash, trata-se de uma mulher submissa que o faz esquecer todas as outras... 
No que toca ao sexo, Ash sempre gostou de explorar o seu lado mais radical. Exige dominar e prefere as mulheres que gostam das coisas assim. Até mesmo as que partilha com o melhor amigo, Jace. Mas Jace envolveu-se com uma mulher que não quer partilhar. E agora até Gabe, o amigo dos dois, assentou numa relação com uma mulher que lhe dá tudo aquilo de que ele necessita, deixando Ash a sentir-se inquieto e frustrado. É então que Ash conhece Josie, que parece ser imune aos encantos e à riqueza dele. Intrigado, dá início a uma perseguição inabalável, determinado que está a não a deixar escapar.


Opinião: Obsessão e Delírio trouxeram-nos a história de Gabe e Jace, mas penso que, tal como eu, a maioria dos leitores desta trilogia estava era à espera da história de Ash. Talvez pela irreverência respeituosa para com os amigos, talvez pela história familiar obviamente complicada ou então porque de todos foi sempre o que se mostrou mais esquivo em revelar mais de si. O que é certo é que se o livro anterior, de Jace, não me agradou minimamente, este soube compensar. Fogo é capaz de ser o livro mais equilibrado dos três no que toca ao romance, ao erotismo e a um enredo interessante. 

Ash sempre mostrou ser daqueles homens cujo lema é viver ao máximo durante o maior espaço temporal possível. Não descurando dos seus negócios, império que construiu a ferros com os seus dois amigos, na sua vida pessoal é relaxado e descomprometido. Como e porquê ninguém sabe, mas existe um lado mais misterioso e obscuro no que toca a contactos que possui (para fazer certos serviços) e quando mete algo na cabeça dificilmente alguém lho tira da cabeça. E quando Josie lhe aparece à frente, de forma inesperada e contemplativa, ele dá o primeiro passo sem pensar. O problema é que ela já possui uma coleira e ele, sem saber bem porquê, acabado de a conhecer, confronta-a com isso. Acha que está ali deslocada, que não combina com ela, que o homem que provavelmente lha ofereceu nem sequer a conhece bem. Mas como pode ele conhecê-la se acabou de se deparar com ela? 

Este é o ponto de partida para uma trama que vai crescendo a bom ritmo. Ao início tive receio que houvesse demasiada precipitação como no volume anterior, mas tal não aconteceu e o mistério plantado foi suficiente para manter o entusiasmo na leitura percorrendo rapidamente as páginas que se seguiam. Por entre a necessidade de afirmação de Josie como mulher independente e a vontade de se submeter às vontades e caprichos de Ash, o passado de ambos teima em atravessar-se-lhes no caminho e quando se juntam as consequências de uma parte do passado de Gabe, há muito esquecido, o sangue corre. Um bom pico de adrenalina nos momentos finais que dão um pouco mais de conteúdo a uma obra que, quase que nem seria necessário dizer, está repleta de cenas eróticas. Não considero que esteja enquadrado na categoria BDSM, mas existe uma clara intenção de dominação e disciplina, sendo apenas contrariada por algum atrevimento de Josie e também por alguma evolução de Ash ao querer que ela tome um papel mais espontâneo. 

Resumindo, é uma história que se lê bem, que faz um apanhado geral do que tem sido a trilogia sendo rematada com mais um final feliz. Não é das melhores trilogias que já li, nem sequer dos melhores romances eróticos, mas dado que tinha gostado bastante da série McCabe desta mesma autora decidi ler esta até ao fim. Boas leituras! 

0 comentários